Novas tentativas serão feitas nesta quinta-feira. SDO vai analisar o Sol com nível de detalhe nunca visto antes.

A NASA estava prontapara lançar nesta quarta-feira (10/02/2010) a sonda Solar Dynamics Observatory, ou SDO, para entender melhor as atividades do Sol, assim como seu impacto sobre a Terra e o clima. O lançamento estava previsto para as 13h26 no horário de Brasília, em Cabo Canaveral, na Flórida, mas condições do tempo atrapalharqm os planos. O controle da missão detectou que as condições do vento não permitiriam a realização do procedimento.

Uma nova tentativa vai ser feita nesta quinta-feira (11).

A sonda vai ao espaço a bordo de um foguete Atlas V da United Launch Alliance, uma parceria que reúne as duas gigantes aeroespaciais Boeing e Lockheed Martin.

Atlas V com SDO (Foto: divulgação)Concepção artística do SDO (Foto: divulgação)

A missão, que deve durar cinco anos e custar US$ 848 milhões (R$ 1.560 mi), vai permitir o fornecimento contínuo de dados e de imagens do Sol. As informações devem permitir que os cientistas desvendem o complexo funcionamento interno do Sol e também de seu campo magnético. Richard Fisher, diretor da divisão de heliofísica da NASA, diz que “o SDO é a base das pesquisas solares da próxima década”.

A sonda, que pesa 3,2 toneladas, será colocada em uma órbita a cerca de 35 mil km da Terra e deve determinar a duração do próximo ciclo do Sol – que é em média de 11 anos – e saber se é possível prever quando os ventos solares violentos carregados de partículas de forte energia afetarão o nosso planeta.

Esses ventos, que representam um risco para os astronautas em missão no espaço, podem perturbar o funcionamento dos satélites e dos sistemas de distribuição de energia elétrica.

Dean Pesnell, cientista do Centro de Voos Espaciais Goddard, da NASA, diz que o Sol afeta cada vez mais as atividades do homem na Terra, em razão da adoção de tecnologias como a do GPS (Sistema de Posicionamento Global), que é usado para a navegação e mapas.

Fonte: R7

Anúncios