Noctilucentes colorem céu de azul mesmo quando é noite. Estudo foi feito por alemães.

Nuvem noctilucentes (Foto: NASA)

Há mais de um século pesquisadores tentam explicar a origem das nuvens noctilucentes, de brilho noturno, que aparecem no céu em cores azuladas, prateadas e avermelhadas mesmo sendo noite. Essas nuvens aparecem, desaparecem e variam de brilho de tempos em tempos, mas ainda não se sabe direito o porquê. Agora, cientistas da Alemanha dizem que o fenômeno está relacionado à rotação do Sol. As informações são da revista New Scientist.

Essas nuvens costumam aparecer a mais de 80 km acima do solo, muito acima das de tempestade, no verão de cada hemisfério da Terra. Ao analisar as mudanças na luz refletida por essas nuvens, a equipe de Charles Robert, da Universidade de Bremen, descobriu que elas aumentam e diminuem de luminosidade em um ciclo que dura 27 dias. Como o Sol leva esse mesmo tempo para fazer uma rotação em torno de seu eixo, a sugestão é que haja uma ligação entre as duas coisas.

A indicação é que a diferença na quantidade de raios ultravioletas que a Terra recebe do Sol em cada momento é a responsável por essa ligação. James Russell, da Universiade de Hampton, nos Estados Unidos, diz que um maior volume de raios ultravioletas deve quebrar moléculas de água na alta atmosfera, o que reduz a formação de nuvens. Entretanto, segundo ele, a rotação do Sol não explica tudo: para ele, o aumento nos índices de dióxido de carbono na atmosfera também tem parte na formação dessas nuvens.

 

Fonte: R7

Anúncios