Aparição de estranho ser alado tirou sono de pequena cidade americana nos anos 60. Relatos semelhantes estão presentes em todo o mundo.

Quem me conhece sabe que não ligo muito para futebol. E que sou fascinado por criptozoologia, o estudo de animais cuja existência ainda não foi "provada". Sendo assim, resolvi ignorar a Jabulani e falar do "criptídeo" que mais me atrai: o Homem-Mariposa. Me atrai tanto que já até escrevi um conto sobre ele. Ele a parece no episódio "Homens-Mariposa" da quinta temporada da série "Arquivo X" e no filme "A Última Profecia" ("Mothman Prophecies", 2002), com Richard Gere, Laura Linney, Debra Messing, Will Patton e Alan Bates. No filme, sucesso nos EUA, a criatura é vista nos arredores de Point Pleasant, uma cidadezinha na Virginia Ocidental, EUA. Embora "A Última Profecia" se passe na época atual, os avistamentos reais em Point Pleasant ocorreram nos anos 1960.

 

Concepção artística do Homem-Mariposa (Foto via ImageShack)O número de pessoas que alegavam tê-lo visto cresceu rapidamente. Mesmo assim, a maioria da população tinha uma posição cética. As testemunhas eram tidas como educadas, honestas, altamente devotas de suas convicções religiosas e sem motivo para mentir. No total, foram descritas 26 observações documentadas com descrições do Homem-Mariposa na Virgínia Ocidental entre 1966 (ano em que houve muitos avistamentos de OVNIs em Ohio, estado vizinho) e 67. Histórias semelhantes continuaram a ser descritas em Point Pleasant até 69.

O Homem-Mariposa (Mothman, em inglês) é descrito como tendo, no mínimo, a altura de um homem, asas de mariposa – ou borboleta – e grandes olhos vermelhos brilhantes. Às vezes, foi relatado que não possuía cabeça e seus e olhos ficam nos "ombros". Ele emite um som muito parecido com o de um grito de mulher que pode se ouvido a mais de 1 quilômetro e meio. A pele sob suas plumas, geralmente descritas como cinzas ou marrons, pode ser cinza ou azul. É forte, sendo que foi visto levantando objetos tão pesados quanto carros. De forma geral, é descrito como macho.

Avistamentos de criaturas semelhantes aconteceram muitas outras vezes. Confira alguns exemplos:

  • Suíça, 1838: Marie Delex, de 5 anos, foi levada por um pássaro. Dois anos depois, seu corpo foi encontrado mutilado largado sobre uma rocha;
  • Copiapó, Chile, 1868: trabalhadores viram um imenso pássaro que emitia um som metálico ao voar (Pessoas que relatam avistamentos do Chupacabras dizem que a crina atrás das costas do animal também faz esse barulho);
  • Copiapó, 17/11/1868: o jornal El Constituyente reportou que mais de cem objetos voadores passaram perfeita formação sobre a cidade, alguns passando a pouco mais de 200 metros dos observadores. Teria algo a ver com o pássaro?;
  • Cidade de Nova York, EUA, 18/09/1877: o New York Sun noticiou a aparição de um homem com asas de morcego sobrevoando o bairro do Brooklin. Os avistamentos sobre a cidade continuaram até 09/1880;
  • Tippah County, Missouri, EUA, 1878: uma águia gigante atacou animais da vizinhança e crianças de uma escola;
  • Dent’s Run, Pensilvânia, EUA, 1882: avistamento de um grupo de pássaros gigantes;
  • Tombstone, Arizona, EUA, 26/04/1890: dois rancheiros matam um enorme pássaro com características de réptil;
  • Webster County, Virgínia Ocidental, EUA, 1895: vários ataques de pássaros gigantes. Landy Junkis, 10, foi levada dias antes que Peter Swadley fosse salvo por seu cão, que atacou o pássaro e foi levado por ele;
  • Região de Picadily Circus Station, Inglaterra, início do Século XX: aparições de uma estranha criatura. Alguns a descreviam como um cavaleiro alado acompanhado de seu cão negro (o famoso black dog) de olhos vermelhos, que são vistos à noite dentro dos túneis do subterrâneo de Londres. Estas estranhas aparições começaram a ser descritas, coincidentemente, logo após a demolição do famoso teatro Egyptian Hall, em 1903, em Londres*;
  • Vladivostok, URSS, 11/07/1908: um homem andando nas montanhas Sikhote Alin viu um ser metade homem, metade pássaro;
  • Nova Jersey, EUA, 17-22/01/1909: aparições de uma criatura alada posteriormente chamada de "Demônio de Jersey";
  • 1932: Svanhild Hantvigsen, de 3 anos, foi apanhada por uma águia e levada para o ninho da ave, onde foi salva por moradores locais;
  • Floresta Black, Pensilvânia, 1940: Robert Lyman, historiador, avistou um grande pássaro em uma estrada perto de Coundersport;
  • Buianaksk, Daguestão, URSS, 1941: um homem-besta foi capturado e morto;
  • Ramore, Ontário, Canadá, 1947: um pássaro gigante atacou o gado de várias fazendas e, meses, depois, em Illinois, EUA, o menino James Trares, disse ter visto o pássaro. As aparições ocorreram até 30 de abril de 1948;
  • Pelotas, RS, início dos anos 1950: Luís Rosário Leal e suas esposa viram dois homens-pássaro com 1,80 m de altura;
  • Houston, Texas, EUA, 18/06/1953: Hilda Walker e três vizinhos observaram um "homem-morcego" com 2 metros de altura, capa preta, calças apertadas e botas de cano curto que desapareceu com um som sibilante e um lampejo branco que se espalhou sobre as casas; Fotografia feita em Yacanto, Argentina, em 1960 (Foto via Mothmen.us)
  • Ohio, EUA, 1959: a esposa de um médico viu uma criatura "parecida com uma borboleta gigante" sobrevoar rapidamente seu pátio, Ela mencionou o acontecido apenas a algumas pessoas. O som foi descrito por testemunhas em locais e dias diferentes como o de um "grande rato";
  • Floresta Trinity, Califórnia, EUA, 1960: um enorme pássaro, parecido com um pterodátilo, foi visto por um casal;
  • Yacanto, Argentina, 03/07/1960: o então capitão Hugo F. Niotti estava dirigindo de Yacanto a Córdoba e, por volta das 16h30, na area de Villa General Belgrano (a cerca de 70 km de Córdoba), subitamente, percebeu um objeto incomum próximo pairando perto do chão à direita da estrada. Ele pegou sua câmera e fotografou-o uma vez. A foto (ao lado) foi considerada autêntica pelo Servicio de Informaciones de Aeronautica;
  • Rio Hudson, EUA, 05/1961: um executivo pilotando seu avião viu um "pterodátilo";
  • Greensburg, Pensilvânia, 25/10/1973: duas criaturas altas, "simiescas", com olhos verdes brilhantes e longos cabelos escuros foram vistas seguindo uma bola vermelha e luminosa é no céu;
  • Elma, Nova York, 10/1974;
  • Cornualha, Inglaterra, 1976 e 1995: aparições de OVNIs e do Homem-Coruja (Owlman), metade homem, metade pássaro;
  • Texas, 1976: Armando Grimaldo foi atacado por um enorme pássaro que descreveu como tendo o tamanho de um homem, asas escuras de couro, sem penas, com 3 metros de envergadura, cara de morcego ou macaco, sem bico e com olhos vermelhos que teria sido avistado várias vezes;
  • Porto Rico, 1989: surgiram avistamentos de pássaros vampiros. Seis anos depois, a polícia estava cheia de relatos de uma criatura alada parecida com um morcego com grandes olhos vermelhos que atacava moradores. Observações de OVNIs estavam diretamente relacionadas; Cadáver do "Homem-Mariposa" encontrado em 2001 perto dos corpos de três crianças desaparecidas desde 1986 (Foto via Mothmen.us)
  • Hythe, Kent, Inglaterra, 16/10/1997: numa estrada rural perto de Sandling Park, quatro jovens disseram ter visto uma "estrela" descer dos céus e desaparecer atrás das árvores não muito longe dali. Assustados, fugiram, mas pararam para ver uma luz oval dourada que a poucos metros do chão num campo a 80 m de distância. O OVNI dirigiu-se para a área arborizada e desapareceu de vista. Subitamente, as testemunhas viram uma forma escura caminhando trôpega em direção a elas, vinda do outro lado do campo. Era preta, de tamanho humano, sem cabeça e tinha asas que pareciam de morcego. Eles correram para suas casas. Outras pessoas observaram um objeto parecido nas noites seguintes. Uma semana depois, ufólogos investigando o local encontraram uma estranha marca de aterrissagem;
  • 2001: cadáver de estranho animal é encontrado junto aos restos de três crianças desaparecidas em 1986;
  • Cidade de Nova York, 11/09/2001: várias fotografias e vídeos mostram silhuetas parecidas com o Homem-Mariposa nos ataques às torres gêmeas do World Trade Center.

Alguns acreditam que o Homem-Mariposa pode prever desastres, mas isso não é um consenso. Entretanto, há relatos de visões esporádicas do ser antes de desastres. Inclusive, existem relatos que a criatura foi vista nos dias que antecederam um terremoto na Cidade do México em 1985, e, segundo o filme, o acidente nuclear em Chernobyl, em 1986.

Como as aparições mais famosas do Mothman são as de Point Pleasant, vamos analisá-las mais a fundo. Começando bem do começo.

Placa em Point Pleasant sobre a batalha de 1774

Desenhos feitos pelas primeiras testemunhas (Foto: Mothmen.us)

"Aqui, outubro de 1774. O General Andrew Lewis e mil carabineiros de Virgínia derrotaram as tribos confederadas lideradas por Cornstalk. Conhecida como a ‘primeira batalha da Revolução’, foi a batalha mais importante entre índios e brancos." Esta é a descrição lida em uma placa na cidade, com aproximadamente 5 mil habitantes. Antes de morrer, Shawnee Chieftain Cornstalk, que liderou os índios, amaldiçoou o lugar por dois séculos. (Reação do público: Óóóóóóóó…!!!) E o que veio com o tempo? Incêndio, inundações, desmoronamento de uma ponte, descarrilamento de um trem e… Mothman! (Óóóóóóóóó…!!!)

Incomum  1960: uma mulher estava dirigindo pela Route 2, perto do rio Ohio, quando ela e seu pai – também no carro – viram uma grande figura de um homem com asas caminhando pelo acostamento. 1965: outra mulher, que morava próxima ao rio, disse que o filho tinha visto algo na forma de um anjo. 1966: uma terceira mulher, na mesma região, disse ter visto algo parecido com uma borboleta gigante. 12 de novembro de 1966: cinco homens preparavam um túmulo em um cemitério perto de Clendenin para um funeral quando algo marrom de forma humana próximo a algumas árvores levantou vôo, passando sobre suas cabeças. Não lhes pareceu ser um pássaro, mas um homem com asas. O primeiro relato na mídia ocorreria três dias depois.

Vista aérea dos dormitórios da West Virginia Ordnance Works (Foto: USACE) Na cidade, há um lugar conhecido na região como "TNT". Trata-se do West Virginia Ordnance Works. Durante a II Guerra Mundial, as forças armadas estocaram trinitrotolueno (TNT) e outros produtos químicos para a fabricação de munição dentro de várias construções com formatos de iglus. Estas construções, a cerca de 11 km do centro de Point Pleasant, estão bem trancadas e inacessíveis. O TNT faz parte do McClintic Wildlife Management Area, que era um local de proteção ambiental de 2500 acres (10 km²). Com a nova atividade do local durante a guerra, os moradores foram se mudando aos poucos, tornando-o um deserto. Poucas pessoas permaneceram morando lá, como a família de Ralph Thomas.

Em 16 de novembro, por volta das 9 horas da noite, sua filha Teena e os Wamsley foram visitá-lo. Eles viram uma luz vermelha no céu circulando o TNT. Neste momento, a Srª Marcella Bennet chega de carro. "Não era um avião. Mas não conseguíamos descobrir o que era", disse posteriormente. Ela saiu do carro com seu bebê nos braços. De repente, um vulto se moveu perto do veículo. "Parecia que estava deitado. Ele levantou de vagar. Uma coisa cinza grande. Maior do que um homem e com terríveis olhos vermelhos." Ela ficou horrorizada a ponto de derrubar a filha. Se recuperou rapidamente, pegou a filha e correu para a casa, onde todos se trancaram. Três crianças dentro da residência abriram a porta para eles e também viram a criatura.

A criatura ficou na varanda olhando através da janela. O Sr. Wamsley chamou a polícia, mas o Mothman já tinha ido embora quando os policiais chegaram. A Srª Bennett levou meses para se recuperar. Chegou a buscar ajuda profissional. Ela era perturbada por sonhos aterradores e, mais tarde, disse a investigadores que acreditava que a criatura havia visitado a casa dela também. Ela contou que, frequentemente, ouvia gritos de mulher (sons característicos da criatura) perto de sua casa isolada no limite de Point Pleasant.

Noite inesquecível  17 de novembro. Os então recém-casados Roger e Linda Scarberry e Steve e Mary Mallette dirigiam próximo ao TNT quando fizeram parte do avistamento mais bem documentado do Homem-Mariposa. Eles viram dois olhos vermelhos de 5 cm distantes 15 cm um do outro. Mallete disse que ele "estava mais ou menos correndo, tentando se equilibrar com suas asas, que abria levemente". "Tinha a forma de um homem, mas era maior, talvez tivesse de 1,80 a 2,15m. E tinha grandes asas dobradas nas costas." Quando o ser começou a se dirigir à porta da instalação – com a qual se chocou com violência –, os quatro entraram em pânico e fugiram.

Concepção artística do encontro dos dois casais com Mothman (Foto: arquivo do editor)

Alguns minutos depois, viram a mesma criatura, ou semelhante, na encosta de uma colina perto da estrada. Ela abriu as asas, que pareciam de morcego, decolou e seguiu o carro, que estava a 160 km/h. A criatura passou sobre eles fazendo um som "parecido com a gravação de uma fita em velocidade rápida", que acreditaram vir do bater de asas. Ao passar por um cadáver canino na estrada, a criatura os deixou. Eles só pararam na delegacia, onde encontraram o delegado Millard Halstead. "Eu conheço esses garotos desde crianças. Eles nunca estiveram metidos em encrenca e estavam apavorados naquele dia", declarou Halstead.

Machete de 18/11/1966 do The Athens Messenger: "Monstro não é piada para aqueles que o viram"; na foto os casais Scarberry e Mallette (Foto: Mothmen.us)

Um dos quatro contou o ocorrido a John A. Keel, falecido em 2009, que acompanhou os casos e escreveu os livros "Strange Creatures from Time and Space" (1970), e "The Mothman Prophecies" (1975), no qual o filme de 2002 foi baseado. Foi relatado a Keel que a criatura ficava acompanhando-os de cima e nem batia as asas. As testemunhas disseram delegado que ela emitia um ruído de camundongo e seguiu-os pela Route 62 até a divisa de Point Pleasant. A polícia foi até o local do avistamento. Nada foi encontrado, a não ser uma anormal interferência no rádio. Era "like high-pitched beeping sounds", "como sons de bipes de alto tom". Outro grupo de quatro pessoas disse ter visto o "pássaro" na mesma noite.

"Mais quatro alegam ter visto um grande pássaro de olhos vermelhos"; reposrtagem menciona fazendeiro e seu cão (Foto: Mothmen.us)Segundo o livro "Alien Animals", de Janet e Colin Bord, um ataque poltergeist aconteceu na casa dos Scarberrys mais tarde naquela noite, quando a criatura foi vista diversas vezes.

Às 22h30, Newell Partridge, um empreiteiro local, residente do subúrbio de Salem, há 145 km de Point Pleasant, estava assistindo a televisão quando repentinamente a tela ficou preta com um apito forte, fino e agudo que parou abruptamente. O pastor alemão do Sr. Partridge, Bandit, começou a uivar na varanda da frente e ir em direção ao celeiro. Quando saiu, o homem viu o cão de frente para o celeiro, a 140 metros de sua casa. Ele pegou uma lanterna e apontou-a para o celeiro. Foi então que viu dois círculos vermelhos que pareciam olhos ou "faróis de bicicleta". Ele teve certeza de que não eram olhos de animais e ficou assustado. Bandit, um cão de caça experiente e protetor de seu território, saiu correndo pelo quintal em perseguição aos olhos. Ele nunca mais voltaria para casa. Partridge gritou para o cão parar, mas a ordem não foi obedecida.

O fazendeiro entrou na casa para pegar uma arma e ficou muito assustado para sair de novo. Não coseguiu dormir e passou a noite toda com a arma no ombro. Declarou a Halstead que procurou por sinais de Bandit no dia seguinte. Tudo o que encontrou foram marcas que indicavam que o cão ficou girando, como se houvesse algo no ar.

"Mais quatro dizem que viram o 'sei lá o quê' de olhos vermelhos" (Foto: Mothmen.us)

Dois dias depois, ele leu sobre os avistamentos dos dois casais em Point Pleasant. Uma declaração de Roger Scarberry o gelaria até os ossos. Scarberry afirmou que, quando entraram nos limites de Point Pleasant – enquanto fugiam da criatura –, viram o corpo de um cachorro grande em um lado da estrada. Foi aí que o ser os abandonou. Depois, quando retornaram ao local, o cão não estava mais lá. Eles até pararam para procurá-lo, sabendo que estava ali havia pouco.

Manchete de 18/11/1966 de jornal de Ohio: "'Mosntro alado' de olhos vermelhos visto na Virgínia Ocidental" (Foto: Mothmen.us)

Esses episódios ficaram conhecidos por todo o país, sendo noticiados em rede nacional. Um repórter local de Ohio intitulou a criatura de Mothman. Na época, a série de TV do super-heroi Batman – muito popular no momento – tinha um personagem com esse nome. Além disso, A capa de Batman lembrava as asas do ser.

Na de 18 de novembro, o policial George Johnson realizou uma coletiva de imprensa na qual as testemunhas foram entrevistadas. Estava presente a repórter Mary Hyre, que mais tarde seria a maior especialista americana no assunto. No mesmo dia, os bombeiros Paul Yoder e Ben Enochs veriam o Homem-Mariposa no TNT.

Desenho feito por uma das primeiras testemunhas (Foto: Mothmen.us) Desenho feito por uma das primeiras testemunhas (Foto: Mothmen.us) Desenho feito por uma das primeiras testemunhas (Foto: Mothmen.us)

Gradativamente, os relatos foram deixando de ser frequentes. No final de 1967, pareciam ter cessado totalmente. Grupos se reuniam quase todas as noites no TNT com suas famílias, comida e cobertores na esperança de ver o inexplicável – que nunca aparecia. Mas ele retornaria.

Reportagens em jornais locais destacam OVNis e a criatura (Foto: Mothmen.us) "Oh, aquele 'pássaro'! Foi visto de novo": reportagem aborda avistamento de Tom Ury (Foto: Mothmen.us)

Profecia  Às 22h15 do dia 21 de novembro de 1967, Richard West, de Charleston, chamou a polícia apavorado após ver um homem de cerca de 1,80m com asas e grandes olhos vermelhos, sentada sobre o telhado de seu vizinho. Ele disse que a envergadura das assas poderia ser de 1,80 a 2,40m e que a criatura pulou como que para um helicóptero. No dia 24, mais quatro pessoas viram Mothman voando sobre a área TNT. No dia 25, Tom Ury dirigia perto do TNT quando, descendo uma ladeira, viu pelo retrovisor o Homem-Mariposa no meio-fio. A criatura voou sobre as árvores e alcançou o carro de Ury, que acelerou até perdê-la de vista.

26 de novembro: Ruth Foster, vendo seu marido chegar tarde da noite, ficou olhando-o através da janela. Em frente da porta, ela notou uma criatura com o corpo branco, asas gigantes e uma face peculiar com dois imensos olhos vermelhos olhando-a fixamente. No dia seguinte, Connie Carpenter voltava para casa quando, próximo da cidade de Mason, também Virgínia Ocidental, viu um ser cinzento parado à frente. A criatura a encarou e voou em direção ao carro. Ele chegou tão perto que Connie pôde ver sua cara, descrevendo-a como horrível. À noite, ela foi relatada por duas crianças em St. Albans.

Desenho feito por uma das primeiras testemunhas (Foto: Mothmen.us) Desenho feito por uma das primeiras testemunhas (Foto: Mothmen.us)

Em outra ocasião, Earl Morrison e dois outros marinheiros, que estiveram na Guerra do Vietnam, estavam de plantão quando viram no céu um ponto luminoso vindo em sua direção rapidamente. Eles notaram duas gigantes asas de morcego em uma mulher nua. A criatura era negra e ao seu redor havia uma aura verde brilhante que lhe dava um aspecto mais fantástico. Eles notaram que os braços e as mãos eram parte das asas.

Será que um fenômeno desta magnitude poderia se tratar apenas de uma pegadinha de Halloween? Mais recentemente, um policial estadual da cavalaria aposentado, que agora mora em Parkersburg, Virgínia Ocidental, confessou se vestir de mariposa gigante no Halloween de 1966 e usar a fantasia para pregar peças. O traje, que ele ainda possui, foi feito por sua avó. Ele declarou que, junto de amigos, decidiu usar a roupa para assustar casais que frequentemente estacionavam perto da fábrica de TNT abandonada em Point Pleasant. Na noite dos agora famosos acontecimentos relatados pelos casais Scarberry e Mallette, o homem declarou que eles assustaram um casal num carro e correram em direção às árvores, atravessando a estrada onde outro carro, dirigido por Scarberry, quase os atropelou.

A confissão pode explicar um caso, mas não toda a história, mesmo porque a tal fantasia não voa… Para completar, muitos cães desapareciam ou eram mutilados ao redor do TNT, onde diziam que o Homem-Mariposa tinha surgido. Logo apareceram boatos de um bruxo agindo pela região e relacionaram o tal bruxo com a vinda do Homem Mariposa. Lembra-se da maldição de Cornstalk? (Óóóóóóóóó…!!!) Além disso, algumas testemunhas apresentavam sintomas semelhantes ao de uma irradiação, irritação na pele e nos olhos. Algumas morreram menos de seis meses após o avistamento.

A ponte Silver (Foto via Revista UFO 85)

De repente, em 15 de dezembro de 1967, a ponte Silver, engarrafada, cai sobre o rio Ohio. (Ai! Contei o fim do filme!) A tragédia mata 46 pessoas e choca os EUA. A ponte construída em 1928, chamada Silver (Prateada) por causa de sua pintura cor de alumínio, era de suspenção por barras e correntes e ligava Point Pleasant e Gallipolis, Ohio. A investigação apontou que um defeito de fabricação de uma única barra em uma corrente de suspenção causou uma falha.

(Foto via Cryptomundo)

Jovem coruja-das-neves (Bubo scandiacus) na tundra do Alaska Alguns disseram que Mothman era o responsável. Outros, que Mothman estava tentando avisar as pessoas. Também chegaram a dizer que ele era o resultado de uma experiência feita por companhias de produtos químicos, ou militares, ou que havia sido exposto a alguma coisa, que era um estranho grou-canadense mutante, uma coruja das neves ou uma coruja-das-torres, que se esconde em celeiros e só sai à noite. Vamos falar mais sobre estas teorias mais adiante.

Visão noturna  Por enquanto, vamos nos focar na característica mais chamativa do Homem-Mariposa: os olhos. As testemunhas parecem se assustar mais com eles do que com a estatura ou a envergadura de 3 metros da criatura. "Foram aqueles olhos que nos prenderam. Tinha dois grandes olhos como refletores de carro. Eram hipnotizantes. Por um minuto, só podíamos olhar para eles. Não conseguia tirar meus olhos deles." Palavras de Linda Scarberry.

E então? Bioluminescência? Brilhavam por vontade de seu dono, como vagalumes? Não. Vamos conferir outros relatos para entender melhor.

Linda Scarberry: "… olhos vermelho-incandescentes que brilhavam ao serem atingidos pela luz. Eles não brilhavam até que as luzes os atingissem." Point Pleasant Register, 26 de novembro de 1966: "O jovem disse que eles viram os olhos da criatura, que brilhavam em vermelho, apenas quando suas primeiras luzes se voltaram para eles." E por fim, Newell Partridge: "O cão estava sentado no fim da varanda uivando em direção ao celeiro de feno… Direcionei a luz (da lanterna) para lá e vi dois círculos vermelhos, ou olhos, que pareciam refletores de bicicleta. Eu, certamente, sei como olhos de animais de parecem… Estes eram muito maiores. É um comprimento bom de um campo de futebol até aquele celeiro… Ainda assim, aqueles olhos pareciam enormes a essa distância."

Desenho feito por uma das primeiras testemunhas (Foto: Mothmen.us) "Você não viu... viu?": Desenho feito por uma das primeiras testemunhas (Foto: Mothmen.us)

Para que um animal enxergue bem à noite, ele precisa de olhos que coletem bastante luz. Estes olhos devem ser grandes, já que quanto maior os olhos, mais luz eles podem coletar. Eles também devem ter pupilas grandes – que deixem bastante luz entrar. E células especiais, chamadas bastonetes, que os ajudam a ver no escuro. Pelo menos, é assim na nossa natureza.

Alguns têm até REFLETORES! Na verdade, uma membrana atrás da retina para refletir luz.

Nem toda a luz é absorvida pela retina. Um pouco passa através dela. Atrás da retina, está o tapetum lucidum, uma camada espelhada que reflete parte da luz de volta para a retina para que ela tenha mais chance de ser absorvida. Assim, alguns animais acabam aumentando a quantidade de luz disponível para seus olhos e sua capacidade de enxergar no escuro. A luz refletida que não é absorvida pela retina, escapa pela pupila e cria o brilho visto quando se aponta faróis de carro ou lanternas para estes animais.

Gatos, principalmente por causa do tapetum lucidum, conseguem enxergar claramente com seis vezes menos luz do que nós. Um pouco da acuidade visual é perdida no processo. Os olhos de um gato podem ser sua característica mais marcante, principalmente à noite, quando parecem emitir uma luz quase sobrenatural. Repare nisso.

Mas porque animais diferentes tem olhos que brilham em cores diferentes? Isso se deve ao fato de que eles têm pigmentos que absorvem diferentes comprimentos de onda. A cor da íris também pode influenciar. Caçadores e naturalistas aproveitam isso para identificar os animais. Olhos de felinos com íris verdes ou amarelas tendem a refletir luz esverdeada. Olhos de gatos com íris azuis, como os siameses, tendem a refletir luz avermelhada. Os olhos da maioria dos cães refletem luz esverdeada. Jacarés, vermelho. Gambás, rosa. Corujas, geralmente vermelho.

Ao contrário das aranhas-lobo, eu não tenho tapetum lucidum. Por que meus olhos saem vermelhos em algumas fotografias? É a luz do flash ricocheteando nos vasos sanguíneos e tecidos vermelhos no fundo do olho.

Várias vezes, testemunhas disseram que o Homem-Mariposa evitava fontes de luz o máximo que podia. "Aparentemente, ele tem medo de luz", disse Steve Mallette. Exatamente o que se esperaria de uma criatura com olhos projetados para ver no escuro, com tapetum lucidum. Há algum exemplo deste comportamento em nossa natureza?

Sim, o Sander vitreus, um peixe com tapetum lucidum que, ao contrário de sua presa, enxerga bem no escuro – onde busca maior parte de suas vítimas. Ele não tolera a luz do Sol. Se a água estiver limpa e não houver nenhuma sombra perto da superfície, ele pode mergulhar mais de 12 metros para fugir dos raios solares. Mas, em águas escuras ou agitadas, ele pode ficar perto da superfície o dia inteiro.

Talvez os olhos do Homem-Mariposa demorem para se recuperar dos efeitos cegantes de faróis de carros e outras fontes de luz.

Vamos relistar as características dos olhos dos animais que enxergam bem à noite:

  • Tamanho: quanto maiores os olhos, mais luz eles podem coletar;
  • Pupilas grandes: deixam bastante luz entrar;
  • Tapetum lucidum: o "espelho" atrás da retina;
  • Bastonetes: células especiais que ajudam os animais a enxergar no escuro.

Olhos com pelo menos duas dessas características identificam criaturas que costumam usar seus olhos em ambientes com pouca luz. Um cervo tem olhos e pupilas grandes, o "refletor" e muitos bastonetes. Um felino possui pupilas grandes, tapetum lucidum e muitos bastonetes. Um sapo: grandes pupilas e muitos bastonetes. Um crocodilo: tapetum lucidum e muitos bastonetes. Dessas quatro características, os olhos dos seres humanos só possuem uma: muitos bastonetes.

Os olhos do Homem-Mariposa eram relatados como grandes, frontais e bem separados – o que dá uma boa visão tridimensional. Não encontrei menção ao tamanho das pupilas desses olhos, mas o brilho que emitiam quando lhes era apontada uma fonte de luz é uma evidência de que a criatura possui tapetum lucidum. Uma vez que não foi feita nenhuma autópsia (pelo menos, não que saibamos), não há maneira de sabermos sobre os bastonetes.

Desenho feito em partitura musical por uma das primeiras testemunhas: "Mariposa", "Ele me conta coisas", "Há uma profecia" e "Não" (Foto: Mothmen.us)

Os olhos vermelhos também fazem parte dos relatos do Monstro de Flatwoods, uma estranha criatura vista em Flatwoods, Virgínia Ocidental, em setembro de 1952. Um OVNI brilhante em chamas foi visto em queda nas proximidades. No início, acreditava-se se tratar de um acidente de avião. Posteriormente, começaram os relatos da criatura.

No alto de uma montanha, estavam uma senhora e vários alunos. Eles viram um objeto com 3 metros de diâmetro a 90 metros de distância. A noite caiu… Um dos garotos apontou uma lanterna para as luzes e uma enorme criatura surgiu. "Ele tinha 3 metros de altura e um rosto vermelho brilhante. Sua roupa era verde e a cabeça lembrava um ás de espadas. Nas costas havia lago parecido com asas." Subitamente, a criatura começou a flutuar em sua direção, fazendo todos descerem correndo e irem ao encontro do delegado.

Um dos casos mais recentes ocorreu em Kerrville, Texas. Mais precisamente, na universidade local, ao lado de um cemitério. Muitos moradores se referem ao monstro como "Tooden", a alcunha de James Earlson, um assassino em massa que matou 36 homens em 25 de julho de 1902. Testemunhas do Tooden desenvolveram muito medo de fenômenos meteorológicos, especialmente de chuva e trovões.

Estante  Há várias teorias sobre o fenômeno do Homem-Mariposa. Uma vasta coleção de material de primeira mão sobre ele pode ser encontrada no livro "The Mothman Prophecies", no qual o autor expõe a cronologia do Homem-Mariposa e o que alega serem eventos para-psicológicos relacionados na área, incluindo atividade de OVNISs, encontros com MIBs, atividade poltergeist, avistamentos do Pé Grande e da pantera negra, mutilações de animais e pessoas, conhecimento prévio por testemunhas, e a queda da ponte Silver. Um livro acompanhante intitulado "The Eighth Tower", também lançado em 1975, foi derivado do material modificado de "The Mothman Prophecies" pela editora.

Capa de "The Mothman Prophecies" (Foto via Revista UFO 85) Capa de "Visitors From Space", edição britânica de 1976 de "The Mothman Prophecies"

Junto com a Sony/Screen Gems, o renomado cryptozoólogo Loren Coleman serviu de porta-voz dos fatos reais na publicidade do filme debatendo eventos verdadeiros do Homem-Mariposa. A empresa também estimulou Coleman a terminar seu livro em tempo do lançamento do filme. Consequentemente, "Mothman and Other Curious Encounters" foi publicado em janeiro de 2002, e dá a única análise criptozoológica para os casos do Homem-Mariposa.

Jeff Wamsley compilou dois livros sobre a criatura. Em "Mothman: The Facts Behind the Legend" (com Donnie Sergent Jr.), de 2002, Wamsley apresenta recortes de reportagens antigas, história local e entrevistas com testemunhas oculares. No segundo livro, "Mothman: Behind the Red Eyes", de 2005, Wamsley entrevista cerca de uma dúzia de testemunhas sobre seus encontros com o ser. Wamsley também gerencia o Mothman Museum e participa como organizador do Mothman Festival feito anualmente em Point Pleasant.

Andy Colvin, um fotógrafo e cineasta-documentarista que alega ter visto o Homem-Mariposa, produziu um livro e uma série baseada em fatos reais sobre o Homem-Mariposa chamada "The Mothman’s Photographer", destacando John Keel e quase 50 testemunhas. A irmã de Colvin tirou uma fotografia de rápida exposição em 1973 que supostamente mostra um Garuda ao fundo. Após pesquisar várias formas de Budismo e certas tribos nativo-americanas, a série de Colvin propõe que tanto o Garuda, da Ásia, e o Thunderbird, dos índios americanos, são sinônimos do Homem-Mariposa. Segundo esta teoria, o Homem-Mariposa cumpre um papel arquetípico que envolve parar a atividade criminal em momentos essenciais enviando visões, sonhos e mensagens a pessoas comuns. "The Mothman’s Photographer" apresenta evidências de que em Mound, Virgínia Ocidental, testemunhas separadamente viram o Homem-Mariposa, aliens, o Demônio de Dover, a Virgem Maria, figuras de plasma, globos de luz "inteligentes” e o monstro de Flatwoods nos mesmos lugares, dando crédito à teoria do "Homem-Mariposa variado".

Grous-canadenses (Grus canadensis) na Florida Numa das primeiras teorias, o Homem-Mariposa é um grou-canadense que se tornou um problema nas regiões próximas no fim dos anos 60. Grous-canadianos chegam à altura de 1,80m, com envergadura de 3,50m, possuem a aparência geralmente descrita, planam por longas distâncias sem bater as asas e possuem um som agudo incomum. Teorias mais recentes sugerem a possibilidade do Homem-Mariposa ser uma coruja-albina, ou talvez uma grande coruja-das-neves (baseado nas impressões artísticas do animal voador misterioso).

Na edição maio-junho de 2002 do Skeptical Inquirer, o jornalista John C. Sherwood, ex-sócio de negócios do fraudador de OVNIs Gray Barker, publicou uma análise de cartas particulares entre Keel e Baker durante a investigação de Keel. No artigo, "Gray Barker’s Book of Bunk", Sherwood relatou ter encontrado diferenças significativas entre o que Keel escreveu na época da investigação e o que escreveu em seu primeiro livro sobre relatos do Homem-Mariposa, levantando questões a respeito da exatidão da obra. Entretanto, Sherwood relatou que Keel não o auxiliaria nos esclarecimentos das diferenças, uma análise simples do livro anterior de Keel sobre o Homem-Mariposa, "Strange Mutants: Demon Dogs and Phantom Cats" (1970) quase não mostra diferenças com o que ele escreveu cinco anos depois em "The Mothman Prophecies".

Escultura do Homem-Mariposa de aço inox com 3,65 metros de altura feita por Robert Roacah, em Point Pleasant (Foto: Kevin Meyers)

Enquanto procuramos por respostas, os moradores de Point Pleasant organizam o Mothman Festival, uma feira local que acontece no terceiro fim de semana do mês de setembro. Eles tentam atrair turistas, mostrar sua cultura e manter viva a imagem de uma estranha criatura vista nos arredores a mais de 40 anos.

Na cidade, há uma estátua de mais de 3,50 metros que retrata a memória dos que estavam lá. Uma placa na estátua apresenta a lenda. "Numa fria noite de outono, em novembro de 1966, dois jovens casais dirigiam dentro da área TNT, norte de Point Pleasant, Virgínia Ocidental, quando perceberam que não estavam sozinhos. O que eles viram estava envolto em um dos maiores mistérios de todos os tempos; por isso o Legado do Homem-Mariposa se originou. Transformou-se em um fenômeno conhecido em todo o mundo por milhares de pessoas curiosas fazendo perguntas: O que realmente aconteceu? O que aquelas pessoas viram? Tem sido visto desde então? Ainda desperta a curiosidade do mundo – o mistério por trás do HOMEM-MARIPOSA de Point Pleasant, Virgínia Ocidental."

A placa na estátua do Homem-Mariposa (Foto via Wikipedia)

Lendas de homens alados estão presentes em culturas por todo o mundo. Cientistas dizem que nenhum animal conhecido se encaixa na descrição do Homem-Mariposa e que tudo não passou de um grande mal-entendido. Será que as centenas de testemunhas estavam mentindo? Será que tudo isso não passou de uma enorme alucinação coletiva? Tudo o que sabemos é que o Homem-Mariposa precisa de uma pesquisa mais aprofundada.

(Foto: Mothmen.us)

 

"Os alienígenas têm diversas formas físicas e se manifestam de variadas maneiras. Muitas vezes, as pessoas que os vêem atribuem a eles características relacionadas às suas crenças religiosas."

– John A. Keel (1930 – 2009), escritor, jornalista, historiador, ufólogo e investigador paranormal

 

Eduardo Oliveira,

editor

 

* O teatro Egyptian Hall foi uma conhecida Casa do Mistério, um centro de ilusionismo da família dos mágicos Maskelyne, sendo Jasper o mais famoso. Para alguns, Maskelyne é, na verdade, o acrônimo do agente oculto Magister MaskMelin, um mágico espião desaparecido no começo da II Guerra Mundial. De acordo com algumas versões, depois de sua demolição, o Egyptian Hall deixou vestígios de estranhas cavernas que serviram para acobertar um esconderijo de uma certa organização secreta chamada The Seven Circle, composta por agentes conhecidos como Lanterns. A organização utilizava a expansão de algumas linhas do metrô da região de Piccadilly para ter acesso a toda a cidade de Londres. Essas afirmações estão descritas nos relatórios do Serviço Secreto Inglês e estão pouco a pouco sendo liberadas ao público. Muitas dessas informações secretas explicam vários mistérios sobre o Mothman ou o cavaleiro alado e seu cão negro no subterrâneo de Londres.

Anúncios