Kathryn Gray descobriu explosão de estrela a 240 milhões de anos-luz. Ela é pessoa mais jovem a descobrir uma supernova.

Uma pequena canadense de dez anos, fã de astronomia, assim como seu pai, descobriu uma supernova e tornou-se a pessoa mais jovem a fazer este tipo de achado, anunciou a Sociedade Real de Astronomia do Canadá (RASC).

Kathryn Gray posa ao lado do telescópio da família (Foto: AP)

Imagem infravermelha da região onde Kathryn descobriu a supernova (Foto: AFP)No último domingo (02/01/2011) Kathryn Aurora Gray, que vive em Fredericton, na província de Nouveau-Brunswick, trabalhava com seu pai e examinava na tela de um computador imagens de galáxias distantes captadas por um telescópio.

Assim, descobriu uma supernova na constelação da Girafa.

As fotos haviam sido mandadas para seu pai, Paul Gray, que ajudou Kathryn a fazer a descoberta, descartando que se tratasse de um asteroide e verificando a lista de supernovas já conhecidas.

"Estou muito empolgada. É uma ótima sensação", disse a menina ao jornal canadense Star.

"É fantástico que alguém tão jovem demonstre paixão pela astronomia. Que descoberta incrível", disse Deborah Thompson, da RASC.

Supernovas são explosões de estrelas que podem resultar em um brilho tão forte que pode ser maior que o de toda a galáxia durante alguns momentos. A impressão é do aparecimento de uma nova estrela, mas, na verdade, é o resultado de seu desaparecimento violento.

Para identificar esses eventos é preciso observar imagens antigas de campos estelares e compará-las com imagens novas. A supernova se revela como um ponto mais brilhante que estrelas comuns, por isso, pode ser vista por meio de um telescópio simples.

Os eventos interessam aos astrônomos "porque produzem a maioria dos elementos químicos que fizeram a Terra e outros planetas e porque supernovas distantes podem ser usadas para estimar o tamanho e a idade do Universo", disse a RASC em um comunicado.

A descoberta, registrada sob o nome supernova 2010lt, foi rapidamente confirmada por dois astrônomos amadores, o americano Brian Tieman e o canadense Jack Newton, e depois comunicada ao escritório central da União Astronômica Internacional.

2010lt está localizada na galáxia UGC 3378, a cerca de 240 milhões de anos-luz da Terra.

 

Anúncios