Sonda deve ser lançada em novembro; pouso em Marte deve ser em agosto de 2012. Local do pouso ainda não foi escolhido; confira quatro finalistas.

Com o lançamento da sonda Mars Science Laboratory (MSL), batizada de Curiosity, da NASA, marcado para novembro, o debate sobre o local mais interessante ganha força. A aposta é alta: uma missão de US$ 2,5 bilhões oferece a melhor chance até hoje de encontrar evidências de vida passada no planeta

A máquina pesa 900 kg, sendo, de longe, a maior – e mais capaz – sonda já feita para ser enviada a Marte e a primeira a carregar instrumentos projetados especificamente para detectar moléculas complexas baseadas em carbono que poderiam indicar vida. Também irá preparar o terreno para uma missão futura que irá cavar até o subsolo, onde material orgânico seria melhor preservado.

"Uma ciência incrível vai sair disso", diz John Mustard, da Brown University em Providence, Rhode Island.

A sonda deve pousar em agosto de 2012 e, nos últimos anos, cientistas têm feito uma lista dos melhores lugares que poderia explorar. Nesta semana, pesquisadores debateram os méritos dos quatro finalistas num encontro em Monrovia, Califórnia. "Todos têm depósitos que parecem ter sido formados por água corrente", diz Ross Irwin, do Planetary Science Institute, com base em Tucson, Arizona.

Um fator chave na decisão é a distância que o Curiosity teria que percorrer para chegar às rochas mais interessantes do local. "Se você tiver que esperar seis meses para fazer a ciência que quer, serão seis meses roendo unhas", diz Mustard, explicando que o robô ou seus instrumentos poderiam quebrar pelo caminho.

Outro ponto a ser argumentado é a necessidade de conhecer a história básica do local. Por exemplo, concorda-se que um rio uma vez fluiu para um lago na cratera Eberswalde, deixando sedimentos para trás. Este é o tipo de característica que captura material orgânico na Terra. Portanto, se escolhida, os cientistas saberiam o que procurar e onde.

Mawrth Vallis é mais misterioso. Possui minerais argilosos que devem ter se formado em água líquida, mas a fonte da água não é clara. Ainda assim, possui as rochas mais antigas de todas as opções, oferecendo uma janela única para os primeiros milhões de anos de história marciana. "Foi quando a vida surgiu na Terra", diz Mustard, sugerindo que o mesmo possa ser verdade para Marte.

A NASA irá decidir o local do pouso em junho ou julho.

Veja os locais de pouso propostos:

  • Cratera Gale: Uma montanha de 5 km de altura de rochas sedimentares que provavelmente se formou na presença de nascentes de água no meio da cratera. As rochas, que incluem argilas, formam camadas distintas depositadas progressivamente com o tempo. Trata-se de uma mina de ouro de informação sobre o condições climáticas passadas de Marte, provavelmente sobre um período mais longo que os outros locais. Por ser muito perigoso pousar na montanha em si, o robô se dirigiria até lá a partir da periferia da cratera. Além disso, há sedimentos de um rio que um dia fluiu para a cratera.
  • Mawrth Vallis: A opção mais misteriosa e, aparentemente, a mais antiga. Algumas de suas rochas provavelmente datam de 500 milhões de anos após a formação de Marte. Minerais argilosos são especialmente abundantes, mas não está claro se a água que os formou veio de lagos, rios ou reservatórios subterrâneos. Isso significa que os pesquisadores não têm uma ideia muito definida do que podem encontrar. O robô poderia pousar direto numa area rica em argila, ao invés de ter que ir até ela.
  • Cratera Eberswalde: Um rio um dia fluiu para um lago nesta cratera, depositando uma grande quantidade de sedimentos em seu solo. O rio pode ter corrido por milhares de anos, dando a qualquer vida muito tempo para se fixar. Os sedimentos podem tem capturado material orgânico que poderia ser um sinal de tal vida, mas o terreno contendo o sedimento é muito acidentado para se pousar. A sonda teria de ir até lá a partir de uma parte mais plana da cratera, que um dia foi o leito do lago.
  • Cratera Holden: Está próxima a Eberswalde e abriga vários sedimentos que foram depositados por água que transbordou para a cratera em vários lugares. Tais lugares são bons para procurar material orgânico capturado. Também há afloramentos que podem ser resquícios de primaveras quentes que seriam bons locais para procurar sinais de vida no passado. A area com sedimentos na cratera é plana o bastante para o pouso. Porém, não está claro se a cratera Holden abrigou um lago por muito tempo como o da cratera Eberswalde.

Mapa ilustrando os locais propostos e locais de pouso de missões anteriores (Foto: New Scientist; Edição: Eduardo Oliveira)

Abaixo está o episódio "Chapter 1: Landing Site Selection" da série "The Challenges of Getting to Mars – Mars Science Laboratory Curiosity", com Ashwin Vasavada, cientista da missão, discorrendo sobre as quatro opções de local de pouso. O vídeo foi disponibilizado pelo site Space.com.

http://c.brightcove.com/services/viewer/federated_f8/1417334557

O player não funciona?

Anúncios