Número de asteroides próximos à Terra é menor do que o esperado. Grandes asteroides representam ameaça remota.

A quantidade de asteroides de porte médio que se encontram relativamente perto da Terra é bem menor do que o estipulado anteriormente. São cerca de 19.500 objetos, divulgou nesta quinta-feira (29/09/2011) a NASA, com base em dados coletados pelo telescópio espacial infravermelho Wide-Field Infrared Survey Explorer (WISE).

Parece muito, mas é bem menos do que os 35 mil asteroides previstos inicialmente pelos cientistas. Agora, eles querem saber quantos desses 19.500 representam perigo real para o planeta e quais são apenas objetos flutuando no espaço.

Para se ter uma ideia, a NASA considera como asteroides de porte médio aqueles com tamanho variável entre cem metros e um quilômetro. O suficiente para destruir uma área metropolitana.

Para chegar a essa quantificação, a NASA estudou rochas espaciais que se encontram em órbita a partir de 195 milhões de quilômetros do Sol até o entorno da Terra. O "censo espacial" é realizado pelo programa espacial NEOWISE, do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), da agência espacial estadunidense.

A boa notícia é que o número de asteroides de grande porte também diminuiu nessa última revisão de dados, caindo de mil para 981 objetos – ou 911, 93%, já foi identificada.

Asteroides próximos da Terra: população estimada e população encontrada pelo NEOWISE (Foto: NASA / Via G1)

Mas nenhum desses "gigantes espaciais" coloca em perigo a Terra por pelo menos os próximos séculos, afirma a NASA.

"O risco de um asteroide realmente grande impactar a Terra [como o que levou à extinção dos dinossauros] antes de podermos localizá-lo e darmos o alerta foi substancialmente reduzido", comentou Tim Spahr, um dos diretores do Centro Harvard Smithsonian para a Astrofísica, em Cambridge, em Massachussets, nos EUA.

Pelas contas atuais da NASA, já foram achados 5.200 asteroides com um quilômetro ou acima disso, e outros 15 mil ainda têm de ser localizados. Entre os "nanicos", que ainda assim podem causar estragos se um deles cair na Terra, a agência diz que são mais de um milhão perto do planeta.

"Menos não significa nenhum", afirma Amy Mainzer, a principal investigadora do NEOWISE. "É como se fosse um censo de verdade, nós pegamos um pequeno grupo de pessoas e tiramos conclusões sobre todo um país."

Os dados do projeto serão divulgados na revista científica Astrophysical Journal.

(Foto: G1)

A NASA comemorou ter atingido uma meta definida no Congresso dos EUA em 1998, que obrigava a agência a descobrir onde estavam 90% dos asteroides maiores que frequentam a vizinhança terrestre. As informações providas pelo WISE atualizam um monitoramento que já dura 12 anos, antes realizado a partir de instrumentos na Terra.

O telescópio WISE já vasculhou duas vezes todos os céus ao redor de todos os pontos da Terra – entre fevereiro de 2010 e janeiro de 2011. Foram vistoriados 585 asteroides próximos ao planeta durante o projeto. Entre Marte e Júpiter, o equipamento da NASA observou 100 mil objetos – essa região do Sistema Solar possui um "cinturão" de asteroides.

Para objetos menores que 100 metros, os cientistas da NASA afirmam que os dados do WISE não são confiáveis – os cientistas acreditam que 1 milhão deles existam perto da Terra. Mas, como vantagem, o instrumento é capaz de detectar objetos mesmo pequenos e distantes, pois detecta o calor que eles emitem.

Anúncios