Satélite faz parte de sistema de navegação. Acidente em agosto adiou lançamento.

A Rússia pôs nesta segunda-feira (03/10/2011) em órbita um satélite para seu sistema de navegação Glonass, análogo ao GPS estadunidense.

O aparelho, um Glonass-M, com 1.450 quilos e uma vida útil de sete anos, foi lançado ao espaço com um foguete Soyuz-2 a partir da base de Plesetsk, situado no noroeste do país, na região da Sibéria, a 800 km ao norte de Moscou.

"Todos os sistemas de bordo do aparelho funcionam normalmente", disse à agência Interfax um porta-voz do Ministério de Defesa russo.

"As forças espaciais russas realizaram com sucesso o lançamento de um foguete Soyuz-2, com um artefato espacial Glonass-M a bordo, às 00h15 locais (17h15 de Brasília), declarou o coronel Alexei Zolotujin, citado pela agência Interfax.

O de hoje é o segundo lançamento de um satélite Glonass a partir de Plesetsk e o primeiro de um foguete Soyuz desde 24 agosto deste ano, quando um portador dessa classe não pôde pôr em órbita um cargueiro Progress M-M12, que caiu pouco depois da decolagem rumo à ISS.

Este lançamento, previsto para o final de agosto, foi adiado várias vezes depois do acidente do cargueiro, que levava várias toneladas de equipamentos e alimentos destinados à ISS.

A nave explodiu em 325 segundos depois de ter decolado do cosmódromo de Baikonur (Cazaquistão), devido a uma falha motriz.

A Rússia suspendeu, temporariamente, o lançamento de todos os Soyuz, em um momento em que ocupa um lugar crucial no front espacial, sobretudo frente aos Estados Unidos. Depois do lançamento, em julho, do último ônibus espacial estadunidense, a NASA agora depende dos cargueiros russos para o transporte de seus astronautas, antes do lançamento de seu novo cargueiro, em 2015.

Em sua composição definitiva, o sistema Glonass contará com 24 satélites operacionais, oito por cada plano de órbita, além de vários aparatos situados em órbitas de reserva

O Glonass foi desenhado pela Rússia para competir com o sistema de navegação GPS e com o europeu Galileu mas sofreu contratempos.

Em dezembro de 2010, três satélites Glonass, lançados pelo foguete Proton, caíram no Oceano Pacífico após o fracasso de sua colocação em órbita, provocado por uma sobrecarga de combustível no lançador. O acidente atrasou o andamento do programa.

Outros quatro satélites Glonass serão lançados antes do fim do ano, disse Testoiedov.

Neste ano a Rússia efetuou 20 lançamentos de foguetes, dos quais três fracassaram.

Anúncios