Podem participar jovens com idades de 14 a 18 anos. Experimentos voarão no ano que vem.

Adolescentes de 14 a 18 anos foram convidados na segunda-feira (11/10/2011) a desenvolver experiências que poderão ser feitas na Estação Espacial Internacional (ISS) e que serão exibidas ao público no YouTube.

O site do Google e a gigante chinesa de computadores Lenovo trabalharão com as agências espaciais estadunidense (NASA), europeia (ESA) e japonesa (JAXA) no "SpaceLab", no YouTube, como forma de despertar o interesse dos jovens pela ciência.

"O Google foi fundado por cientistas, por isso, inspirar a próxima geração de cientistas é muito importante para nós", afirmou Zahaan Bharmal, diretor de marketing da companhia.

Vídeo da promoção YouTube SpaceLab

Para participar, os estudantes devem pensar em experimentos interessantes para por em prática na microgravidade da estação orbital. Em seguida, um júri, que inclui o físico Stephen Hawking, irá selecionar os mais interessantes para serem executados.

"Selecionaremos os dois melhores experimentos, os colocaremos em um foguete e enviaremos à Estação Espacial", confirmou Bharmal. "Esperamos que a difusão em tempo real no YouTube seja a maior e mais interessante aula do mundo", continuou.

Prêmios  Os projetos deverão ser inscritos nas categorias de física ou biologia. O prazo para apresentação de ideias termina em 7 de dezembro e os vencedores serão anunciados em março, em Washington.

Segundo Bharmal, as experiências vencedoras serão enviadas ao espaço em 2012, a bordo de um foguete japonês guiado por computadores Lenovo, e exibidas ao vivo no YouTube, com o apoio da NASA.

Os estudantes cujas ideias forem selecionadas terão que escolher como prêmio assistir ao lançamento do foguete ou visitar o centro de treinamento de cosmonautas, na Rússia. Os seis ganhadores regionais poderão experimentar voos em gravidade zero, conhecidos como "cometas do vômito" por causa das sensações que provocam, afirmou Bharmal.

O canal "SpaceLab" poderá se tornar uma plataforma online permanente para divulgar conteúdo relacionado com a ciência.

Fontes: G1 e R7

Anúncios