Foguete russo foi perdido em agosto, suspendendo todos os voos russos. Tripulação da ISS foi reduzida pela metade.

A última nave de carga Progress desse ano foi lançada neste domingo (30/10/2011) com sucesso à Estação Espacial Internacional (ISS) a partir da base de Baikonur, no Cazaquistão, levando 2,5 toneladas de carga, incluindo o microssatélite Chibis-M.

"O lançamento foi um sucesso", informou um porta-voz do Centro de Controle de Voos espaciais. A nave se separou do foguete lançador Soyuz-U nove minutos depois do início do voo em regime autônomo até a ISS, à qual se acoplará às 15h40 de Moscou (9h40 de Brasília) do dia 2 de novembro.

Na carga da nave, estão 741 kg de propelente para os propulsores da estação, cerca de 50 kg de oxigênio, 420 kg de água e 1.409 kg de outros materiais como peças de reposição, equipamentos de manutenção, suprimentos para experimentos e artigos médicos e de higiene.

No meio da carga, também estão dois iPads – os primeiros a irem para o espaço. Eles serviram como entretenimento para os tripulantes. Já estão na Estação iPods e dois iPhone 4 com um aplicativo para ajudar os astronautas com os experimentos.

O microssatélite Chibis-M vai estudar as tempestades de raios, com a peculiaridade de que essa será a primeira vez que este fenômeno meteorológico será analisado a partir de diferentes espectros de radiação eletromagnética de maneira simultânea.

Lançamento da Soyuz 45 (Vídeo: NASA Television / YouTube)

Tripulação  A Progress M-13M, ou Progress 45, é a primeira nave de carga a chegar à ISS desde o fim de junho. O cargueiro lançado em 24 de agosto explodiu sobre a Sibéria pouco após o lançamento – o primeiro acidente desde 1978 – em virtude de uma rara falha do propulsor. Como o foguete que lança os cargueiros Progress é o mesmo que lança as naves tripuladas Soyuz, todos os voos espaciais russos foram suspensos até a causa do problema ser identificada e corrigida, fazendo com que a tripulação da ISS fosse reduzida pela metade.

A Estação pode abrigar até seis pessoas, mas, no momento, estão na plataforma o comandante estadunidense Mike Fossum, o russo Serguei Volkov e o japonês Satoshi Furukawa. Uma nova tripulação deve decolar em 14 de novembro, chegando à ISS dois dias depois. A tripulação atual deve deixar a ISS em 22 de novembro.

Até foi discutido deixar a estação sem tripulação até que uma solução fosse encontrada, mas autoridades da NASA disseram em outubro que tal medida seria pouco provável.

"Nós parabenizamos nossos colegas russos pelo lançamento com sucesso da ISS Progress 45 no domingo, e a espaçonave está em seu caminho para a Estação Espacial Internacional" disse Bill Gerstenmaier, administrador associado de explorações e operações humanas da NASA, em uma declaração após o lançamento. "Dependendo do resultado de uma série de reuniões sobre a prontidão de voo nas próximas semanas, este voo de sucesso prepara o palco para o próximo lançamento Soyuz, planejado para meados de novembro. A missão da Soyuz de dezembro irá restaurar a tripulação da ISS para seis e continuar as rotações normais de tripulação."

Problema  Uma investigação feita por engenheiros russos determinou que uma baixa alimentação de combustível em um gerador de gás no motor do terceiro estágio do foguete Soyuz foi a causa mais provável do acidente com a Progress 44. A investigação descobriu que algum tipo de contaminação na linha de combustível ou numa válvula pode ter causado o problema. Engenheiros da NASA concordaram.

"Eles fizeram uma espécie de verificação de antecedentes para assegurarem-se de que as conclusões que os russos estavam tirando eram sensatas", disse Gerstenmaier em 12 e outubro. "Completamos esta revisão hoje dentro da agência e concordamos com os achados básicos russos."

Fontes: Reuters, Space.com e Último Segundo

Anúncios