Satélites meteorológicos foram hackeados em 2007 e 2008. Para Pequim, relatório estadunidense teve "razões ocultas"; tensão entre duas nações aumenta.

Nesta segunda-feira (31/10/2011), Pequim negou as alegações de uma comissão estadunidense de que a China seria responsável pelo hackeamento de satélites estadunidenses , dizendo que o comitê teve "razões ocultas" para escrever tal rascunho de relatório.

Pelo menos dois satélites estadunidenses de monitoramento do clima foram atacados quatro ou mais vezes em 2007 e 2008 através de uma estação na Noruega e, de acordo com o rascunho de relatório ao Congresso, os militares chineses são os principais suspeitos.

A Comissão de Revisão Econômica e de Segurança EUA-China, que relatou a interferência, disse que os eventos não foram realmente rastreados até a China. A comissão disse que a mencionou "porque as técnicas parecem consistentes com autoritárias escritas militares chinesas" que defenderam desabilitar instalações de controle de satélites em qualquer conflito.

O comitê "sempre viu a China com lentes coloridas", disse Hong Lei, porta-voz do Ministério do Exterior, num depoimento jornalístico regular na segunda-feira. "Este relatório não é verdadeiro e tem razões ocultas. Não vale um comentário."

Lei reiterou a postura de que a China "também é uma vítima de ataques de hackeamento e ira´se opor a qualquer forma de crime cibernético, incluindo hackeamento".

Os ataques cibernéticos se somam à longa lista de tensões entre Estados Unidos e China que abrangem questões de comércio, direitos humanos, o valor de sua moeda e Taiwan.

Fonte: Reuters

Saiba mais

"Hackers obtiveram controle de satélites estadunidenses, diz relatório", 28/10/2011

Anúncios