Experimento biológico a bordo de Shenzhou 8 é primeira participação estrangeira no programa. Acoplagem não tripulada está programada para Shenzhou 10.

Langa Marcha 2F dirige-se ao local de lançamento (Foto: CMSE)

Quando a China lançar a espaçonave Shenzhou 8 num voo de teste não-tripulado de acoplagem hoje (31/10/2011), uma carga científica sino-alemã estará no voo, marcando a primeira vez em que a China colaborou com outra missão em uma de suas missões Shenzhou.

A nave deve decolar no topo de um foguete chinês Longa Marcha 2F às 19h do horário brasileiro de verão (6h de 1º de novembro no local) a partir do Centro de Lançamento de Satélites Jiuquan, no interior da Mongólia.

Dois dias após o lançamento, a Shenzhou 8 irá se acoplar com a nave Tiangong 1, que decolou em setembro. Será a primeira acoplagem chinesa.

SIMBOX (Foto via Space.com)

A bordo da Shenzhou 8 está uma unidade de pesquisa chamada SIMBOX (Science in Microgravity Box, caixa de ciência em microgravidade), parceria entre China e Alemanha. Com 25 kg, a caixa contém 40 unidades experimentais, cada uma com o tamanho aproximado ao de um telefone celular, projetadas para testar os efeitos da microgravidade em vários espécimes.

Plantas, nematódeos, bactérias e células de câncer humano são algumas das amostras que serão expostas à gravidade zero e à radiação do espaço por cerca de três semanas. A pesquisa irá investigar questões biológicas e médicas fundamentais, incluindo como a gravidade intervém em processos biológicos e como o sistema imunológico pode ser reforçado.

A porção alemã do projeto é gerenciada pelo Centro Aeroespacial Alemão (Deutsches Zentrum für Luft- und Raumfahrt, GAC) e a chinesa pelo Escritório de Engenharia Espacial Tripulada da China (China Manned Space Engineering Office, CMSE).

Pesquisadoras chinesa e alemã preparam amostras biológicas para o SIMBOX em laboratório da Academia Chinesa de Ciências (Foto: DLR)

A manobra de acoplagem entre Shenzhou 8 e Tiangong 1 é vista como um passo significativo para o programa espacial chinês, que visa construir sua própria estação orbital tripulada. Acoplagem autônoma é uma habilidade necessária para alcançar esta meta.

A China é o terceiro país a desenvolver espaçonaves capazes de levar e trazer humanos do espaço. O primeiro voo espacial tripulado chinês aconteceu em 2003, com um único tripulante. Em 2005, houve um voo com uma dupla e. em 2008, com um trio.

Se a Shenzhou 8 der certo, será seguida por outro rendezvous com a Shenzhou 9, a ser lançada no ano que vem, e por uma acoplagem tripulada com a Shenzhou 10.

Fonte: Space.com

Anúncios