Primeira tripulação de colônia permanente chegarão a Marte daqui há 10 anos. Para financiar projeto, ONG aposta em reality show.

Uma organização não-governamental (ONG) que visa colocar quatro astronautas em Marte em 2023 irá iniciar sua busca televisionada de dois anos por exploradores neste inverno.

A holandesa Mars One começará a aceitar vídeos de inscrição entre agora e julho, exigindo uma taxa para eliminar aquele que não falam sério sobre sua candidatura. O grupo espera levantar milhões de dólares desta forma, pagando pelo próprio processo de seleção e pelos estudos tecnológicos.

"Esperamos um milhão de inscrições com vídeos de 1 minuto e, esperançosamente, alguns destes vídeos serão virais", disse o co-fundador e oficial executivo chefe da Mars One Bas Lansdorp ao site Space.com na quarta-feira passada (10/04/2013). Ele foi a Londres falar à British Interplanetary Society (Sociedade Interplanetária Britânica, BIS).

Ilustração de astronautas na colônia marciana Mars One (Foto: Mars One / Bryan Versteeg)

A Mars One agora tem 45 mil pessoas registradas pelo correio e já recebeu 10 mil e-mails de indivíduos interessados, acrescentou Lansdorp. A ONG irá revelar mais detalhes sobre seu processo de seleção de astronautas em uma coletiva de imprensa em Nova York em no dia 22.

Viagem só de ida  A Mars One está com uma seleção ampla, buscando por inscritos por todo o mundo. A taxa de inscrição irá variar conforme o país, sendo que os países mais pobres terão taxas menores, disse Lansdorp. A maior taxa será de uns US$ 25.

Qualquer um maior de 18 anos pode se inscrever enviando um vídeo explicando por que deveria ser selecionado. Mas possíveis colonos devem estar preparados para dizer adeus de vez a Terra: no momento, não há planos para trazer os astronautas de volta.

Por volta de julho de 2015, a Mars One quer ter 24 astronautas organizados em seis equipes de quatro pessoas. As equipes passarão por sete anos de treinamento que incluirão três meses por vez em uma réplica da colônia.

"Daremos a eles todas as situações mais estressantes", disse Lansdorp na audiência da BIS, acrescentando que a base de treinamento terá um atraso de 40 minutos nas comunicações para simular o que existe no caso de Marte.

Autoridades da Mars One esperam que alguns indivíduos e equipes falhem nestes testes. Então, a partir de 2015, a ONG terá um processo anual para selecionar 12 pessoas em três equipes de quatro.

"Sempre teremos uns 10 grupos [de quatro] em treinamento, então se um grupo sai, haverá tripulações reservas", disse Lansdorp ao site. Isso irá continuar mesmo depois de 2023, já que a Mars One planeja levar mais colonos ao planeta a cada dois anos por quanto o financiamento permitir.

A Mars One planeja lançar uma nave com mais de 2 toneladas e alimentos e outros suprimentos em janeiro de 2016; o pouso será em outubro (Foto: Mars One / Bryan Versteeg)

"BBB" interplanetário  A Mars One estima precisar de US$ 6 bilhões para enviar os primeiros quatro astronautas para Marte. Esta quantia cobrirá o desenvolvimento de sistemas de pouso, habitats, um veículo para trânsito em Marte (Mars Transit Vehicle, MTV), jipes, painéis solares e outras tecnologias associadas à colônia, assim como a viagem até o planeta.

Lansdorp disse ao Space.com que cada viagem de tripulação subsequente custaria US$ 4 bilhões e enviar apenas uma nave com suprimentos custaria US$ 250 milhões.

A ONG planeja levantar este dinheiro com uma série de reality show global que irá mostrar da seleção dos astronautas ao primeiro pouso e a expansão da colônia.

O público irá votar para decidir qual candidato selecionado pelos especialistas da Mars One vai para Marte. Lansdorp indica os Jogos Olímpicos de 2012, em Londres, e os US$ 4 bilhões que gerou com receitas televisivas em suas três semanas como evidência de que tal plano de financiamento pode funcionar.

Enquanto isso, a receita dos vídeos de inscrição irão financiar os estudos tecnológicos iniciais e provar que existe demanda para um programa de TV.

"Podemos provar para as emissoras que existe uma demanda e interesse reais e começaremos as negociações após os procedimentos de seleção [de astronautas] começarem", disse.

Além dos vídeos e do programa, futuras receitas incluem financiamento em massa (crowdfunding), exploração de tecnologias desenvolvidas para os mercados na Terra e pesquisa em Marte para governos. Por exemplo, a Mars One poderia eventualmente enviar uma amostra de solo marciano para a Terra, disseram autoridades.

Um jipe robótico da Mars One deve pousar em Marte em 2018 para procurar pelo melhor lugar para a colônia (Foto: Mars One / Bryan Versteeg)

Definindo os detalhes  A espaçonave ainda tem que ser projetada, mas Lansdorp disse na audiência da BIS que, para a viagem de 210 dias, o veículo terá um tanque raso de 2.500 litros de água com quatro compartimentos.

Os astronautas dormiriam nesta área e a usariam como abrigo contra fenômenos solares com radiação extrema. A água equivale a uma coluna de 25 centímetros para proteção contra radiação, que Lansdorp disse à BIS ser o que a NASA e a ESA sugerem para uma missão de retorno.

Quando a primeira equipe pousar, em 24 de abril de 2023, os colonos encontraram uma colônia cujos habitats e painéis solares terão começado a trabalhar antes de eles deixarem a Terra. Segundo Lansdorp, a colônia ficará entre 40° e 45° N.

"Queremos estar o mais ao sul possível por causa da luz solar e o mais ao norte possível por causa da água." Ele acrescentou que a colônia estará a 2,5 km abaixo do nível médio da superfície de Marte, dando mais tempo para a espaçonave pousar.

Inicialmente irá contar com jipes, dois habitats, duas naves de apoio à vida e duas naves de suprimentos. A Mars One está projetando cinco tipos de naves para apoio à vida, suprimentos, habitat e as que levarão as tripulações e os jipes. Os primeiros equipamentos a serem enviados a Marte serão um satélite de comunicações, um jipe de demonstração e uma nave de suprimentos com 2.500 kg de água.

"Temos um jipe conceitual agora. É muito provável que serão dois jipes – um trailer e um inteligente que faz todas as tarefas avançadas." O trailer moverá as naves do local de pouso para o de base, distância que não se espera exceder 1,6 km.

A segunda tripulação deve chegar em 2025 (Foto: Mars One / Bryan Versteeg)

Os habitats da colônia serão ligados por túneis de tecido e cobertos por 1,8 m de solo marciano para proteger da radiação. Lansdorp disse na audiência que com as atividades externas esperadas, os colonos receberão em 10 anos uma dose de radiação equivalente ao máximo que a ESA permite para seus astronautas, que ele descreveu como "muito seguro".

O habitat da segunda equipe vai chegar junto com a primeira tripulação e pode ser usado por ela se tiverem algum problema com seu próprio equipamento até a chegada da segunda equipe, em 2025.

A colônia terá estufas infláveis e usará água do solo marciano e nitrogênio da atmosfera para suas plantações. Cultivarão arroz, algas e insetos por seu alto conteúdo de proteínas. Provavelmente, também cultivarão cogumelos, tomates e outras plantas.

Indústria privada Energia solar e não nuclear será usada na base e as naves podem ser versões maiores da Dragon da SpaceX. "Temos discutido ampliar a cápsula Dragon com a SpaceX", disse na audiência.

Em março, a Mars One anunciou que tinha assinado um contrato com a Paragon Space Development Corp. para um estudo de projeto conceitual de sistemas apoio à vida e de trajes espaciais.

A Paragon também foi contratada por Dennis Tito para o projeto Inspiration Mars, que visa lançar duas pessoas em uma missão de sobrevoo em Marte em 2018. Lansdorp deve encontrar Tito em maio em Washington. (Leia mais.)

Além da Paragon e da SpaceX, Lansdorp está em diálogo com a canadense MDA Robotics sobre os jipes, a italianas Thales Alenia Space sobre o MTV, com a ILC Dover e Astrobiotic e a britânica Surrey Satellite Technology.

Bas Lansdorp, co-fundador e diretor geral da ONG Mars One (Foto: Maurice Mikkers)

Lansdorp se recusou a responder perguntas sobre quanto dinheiro a Mars One já levantou, dizendo apenas que é o bastante para iniciar o processo se de seleção e financiar o contrato com a Paragon. Mas já foram divulgados os nomes dos primeiros investidores. Descritos como patrocinadores prateados, incluem o Verkkokauppa.com, o segundo maior varejista de eletrônicos de consumo da Finlândia, e o Byte Internet, um serviço de hospedagem na internet.

 

Space.com

Anúncios