Foguete será solto de avião e lançará satélites; tripulação futura não foi descartada. Contrato original era com SpaceX.

A Stratolaunch Inc., em Huntsville, Alabama, criada pelo co-fundador da Microsoft Paul Allen para desenvolver um sistema de lançamento de foguetes de baixo custo, deu à Orbital Sciences Corp. um contrato para a construção do maior lançador espacial lançado do ar.

Inicialmente, a Stratolaunch havia fechado com a Dynetics para construir um sistema de acoplamento e integração para um foguete de combustível líquido que a empresa planejava compra da Space Exploration Technologies Corp. (SpaceX). de Hawthorne, Califórnia. No ano passado, a SpaceX e a Stratolaunch se separaram e a Orbital, em Dulles, Virgínia, entrou com um projeto diferente de foguete que não necessita do equipamento da Dynetics.

Foguete será solto de avião (Foto: Stratolaunch)

David King, ex-diretor do Marshall Space Flight Center e atual vice-presidente executivo da Dynetics disse que a Dynetics ainda fornecerá apoio técnico e programático à Stratolaunch.

A Orbital, fabricante e operadora do pequeno foguete lançado pelo ar Pegasus, fará mais que montar o foguete da Stratolaunch. Segundo um release de 3 de junho da Stratolaunch, a Orbital também é responsável pelos "processos e procedimentos que precisarão ser feitos para operar o sistema".

Gary Wentz, chefe executivo da Stratolaunch, se negou a especificar o valor do contrato quando contatado por e-mail no dia seguinte. Ele disse que a Orbital "faria tudo pelo lançamento de demonstração, que está marcado para 2018".

Carga  O release mencionou que o foguete seria capaz de levar 6.800 kg para a baixa órbita da Terra "e cargas menores à órbita de transferência geoestacionária", o ponto de queda para a maioria dos satélites de telecomunicações comerciais. Wentz não deu especificações exatas do foguete, a não ser que terá três estágios.

"Ainda estamos negociando os específicos dos estágios, mas o candidato líder usa estágios [de combustíveis] líquido e sólido", ele escreveu. "Continuamos a manter o requerimento de uma capota de 5 metros, que permite cargas com o máximo tamanho que podem ser acomodadas em um EELV [Evolved Expendable Launch Vehicle, Veículo de Lançamento Descartável Avançado] e configura um diâmetro de interface comum para uma cápsula futura."

Os EELVs são uma classe de foguetes usados para lançar a maioria dos satélites do governo dos EUA.

A Stratolaunch planeja começar lançando satélites básicos mas não descartou lançar tripulações no futuro.

Foguete será solto de avião (Foto: Stratolaunch)

Outros feitos  A Orbital está gerenciando o projeto dentro de seu grupo Advanced Space Programs (Programas Espaciais Avançados) ao invés do grupo Launch Vehicles (Veículos de Lançamento). Barron Beneski, porta-voz da empresa, disse que, por enquanto, há apenas "algumas dúzias de pessoas" trabalhando no foguete da Stratolaunch, todos no QG da empresa em Dulles.

Dulles é ponto de montagem final para a maioria dos satélites da Orbital e para a espaçonave de carga Cygnus que a empresa está usando para enviar suprimentos à Estação Espacial Internacional. A maior parte da força de construção de foguetes da Orbital está em Chandler, Arizona.

Enquanto isso, o primeiro voo de teste da enorme aeronave portadora da Stratolaunch – um veículo com duas fuselagens e envergadura de 117 metros sendo construída pela Scale Composites, em Mojave, Califórnia – deve acontecer em 2016. O avião será capaz de voar 2.400 km de um local de decolagem antes de lançar o foguete.

Clique aqui e veja um infográfico do Space.com mostrando a aeronave que lançará o foguete.

A Stratolaunch não é o primeiro projeto espacial de Paul Allen. O investidor bilionário bancou o SpaceShipOne, que em 2004 venceu o Ansari X Prize de US$ 10 milhões ao fazer dois voos de 100 km de altitude em duas semanas.

 

 

Leia mais sobre a criação da Stratolaunch:
"Co-fundador da Microsoft revela plano de nave lançada por avião para viagens espaciais privadas", 14/12/2011

Anúncios