Brasil investirá € 6 mi em observatório de rádio. Há possibilidade de parceria com ALMA.

Cinco anos atrás, em um encontro científico de astronomia, nasceu uma ideia que acaba de se transformar em um projeto de um novo telescópio com parceria entre Brasil e Argentina.

O Long Latin American Milimeter Array (LLAMA) será construído em San Antonio de los Cobres, norte da Argentina, a 5 mil metros de altitude e 200 quilômetros do ALMA, o maior observatório astronômico do mundo, no Chile.

Como o ALMA, o LLAMA vai observar as frequências mais altas de rádio, que não são absorvidas pela poeira interestelar e nos permitem enxergar mais longe. Hoje, pouco observatórios no mundo operam nessa faixa de frequência.

Outro diferencial é a proximidade entre os dois, que permite a observação conjunta de um mesmo fenômeno em mais detalhes.

No ALMA, a possibilidade de cooperação também é bem vista. Thijs de Graauw, diretor do observatório, reconhece a iniciativa como uma boa oportunidade para o próprio projeto e para que pesquisadores brasileiros e argentinos participem das pesquisas no ALMA.

Segundo Zulema Abraham, uma das coordenadoras do projeto, foram necessários muitos anos, um workshop científico, visitas a outros telescópios e o aval dos dois governos e de cientistas estrangeiros para que a proposta finalmente fosse aprovada, no ano passado.

Pelo acordo, o Brasil fica responsável pela construção da antena, cujo orçamento está estimado em € 6 mi e será financiado pela FAPESP, enquanto os hermanitos cedem o local e fornecem a infraestrutura necessária, como obras viárias e fornecimento de energia, com um investimento equivalente.

Após a assinatura do convênio, que deve ocorrer nos próximos meses, a expectativa é que o telescópio esteja pronto em cerca de dois anos e meio, segundo Abraham.

"Já era hora de Brasil e Argentina estreitarem seus laços. Se for inviável para um país construir sozinho um equipamento de última geração, é necessária uma união", afirma o astrônomo Pedro Beakilini, pós-doutorando da USP envolvido no projeto.

"O LLAMA é um sonho transformado em realidade. Não foi fácil, mas fizemos um bom trabalho com os colegas brasileiros. Pessoalmente, é uma grande responsabilidade e um enorme orgulho poder contribuir para melhorar as condições de investigação astronômica para as gerações atuais e futuras de ambos os países" ressaltou Marcelo Arnal, responsável pelo projeto na Argentina.

O LLAMA pretende elevar os dois países no cenário científico internacional. Mais detalhes estão disponíveis no site do LLAMA.

 

image

Anúncios