Telescópio fez mapeamento infravermelho do céu e catalogou mais de meio bilhão de itens. Pesquisa pode auxiliar em escolha de asteroide para captura.

Ontem (21/08/2013), autoridades da NASA anunciaram que, em setembro, a agência irá reativar uma espaçonave caçadora de asteroides para identificar rochas potencialmente perigosas e marcar candidatos para uma missão que irá embalar um asteroide e movê-lo para que astronautas possam explorá-lo.

O Explorador de Pesquisa Infravermelha de Campo Amplo (Wide-field Infrared Survey Explorer, WISE) será tirado da hibernação para conduzir uma busca de três anos por objetos próximos à Terra (near-Earth objects, NEOs). Espera-se que a sonda descubra 150 novos asteroides e caracterize outros 2 mil.

O novo trabalho do WISE poderia ajudar a NASA a escolher um alvo para um missão que planeja arrastar uma pequena rocha espacial para uma órbita estável ao redor da Lua. Uma vez lá, o asteroide poderia ser visitado por astronautas com o Sistema de Lançamento Espacial (Space Launch System, SLS) e a cápsula Órion, ainda em desenvolvimento, em 2021.

A iniciativa, divulgada em abril, é uma forma de cumprir a diretriz dada em 2010 por Barack Obama de enviar pessoas a um asteroide até 2025.

Missão  O telescópio WISE, de US$ 320 milhões, foi lançado em dezembro de 2009 para uma missão de 10 meses para mapear todo o céu em infravermelho. A nave fez mais de 2,7 milhões de imagens e catalogou cerca de 560 milhões de objetos celestes, de galáxias distantes a asteroide e cometas no Sistema Solar.

Em outubro de 2010, o hidrogênio usado para resfriar os detectores infravermelhos acabou, mas a NASA estendeu a missão de busca de asteroides, a NEOWISE, por mais quatro meses, uma vez que a nave, que orbita a Terra, ainda poderia usar dois detectores para observar objetos relativamente próximos.

O projeto NEOWISE acabou descobrindo um total de 21 cometas e mais de 34 mil asteroides no Cinturão de Asteroides (entre as órbitas de Marte e Júpiter) e 135 NEOs.

A nave foi desligada em fevereiro de 2011 mas permanece em boa forma de funcionamento. Autoridades da missão estão confiantes de que o WISE está pronto para voltar a ativa no mês que vem.

"O NEOWISE não nos dá apenas um melhor entendimento dos asteroides e cometas que estudamos diretamente, mas nos ajuda a refinar nossos conceitos e planos de operação de missão para o futuras missões espaciais para catalogar objetos próximos à Terra", disse em uma declaração Amy Mainzer, principal investigadora do NEOWISE, do Laboratório de Propulsão a Jato (Jet Propulsion Laboratory, JPL) da NASA, em Pasadena, Califórnia.

 

 

Participe da enquete: Você acha que estamos preparados para evitar o impacto de um asteroide ou cometa capaz de ameaçar nossa espécie?

Anúncios