Algumas formações em plantações continham formações em código binário. Seriam mensagens de membros de outras civilizações ou farsas elaboradas?

Em agosto do ano passado, postei um texto sobre o Incidente da Floresta de Rendlesham. O caso de fama mundial se passou nos últimos dias de 1980 em uma floresta britânica com duas bases militares com armamento nuclear. Após verem luzes incomuns, homens entraram na floresta para investigar e encontraram um objeto pousado. Noites depois, as luzes voltaram e assustaram outro grupo. As testemunhas foram interrogadas e proibidas de falar sobre o assunto. Para saber mais sobre o caso, confira o post no link abaixo.

"O que aconteceu na Floresta de Rendlesham?", 08/08/2013

Mencionei este post agora porque inclui nele um aspecto importante – e duvidoso – do incidente: uma mensagem codificada que teria sido transmitida a uma testemunha ao tocar no objeto. A mensagem em código binário tinha 1679 dígitos. Por que 1679? Os próprios humanos usaram a resposta em uma mensagem binária uma vez.

Em 16 novembro de 1974, após modificações que lhe conferiram potencia de transmissão de até 20 TeraWatts, um cumprimento interestelar foi enviado em FM do Observatório de Arecibo, o maior radiotelescópio do mundo, com 300 m de diâmetro, em Porto Rico. A mensagem codificada foi enviada na direção de M13, um aglomerado globular com umas 300 mil estrelas a cerca de 25 mil anos-luz – 235 quatrilhões de quilômetros – na constelação de Hércules.

Aglomerado globular Messier 13

Transmitida com potência suficiente para ser detectada por um receptor de mesma potência que o radiotelescópio em qualquer lugar da galáxia e a frequência de 2.380 MHz, a mensagem era modulada mudando a frequência em 10 Hz. Os zeros e uns foram transmitidos à taxa de 10 bits por segundo (bps) e a transmissão total durou menos de 2m50s.

No sistema decimal, quando o último dígito de um número chega a 9, somamos 1 à coluna da esquerda e prosseguimos a partir do zero: … 57, 58, 59, 60, 61, 62 … O sistema binário trabalha da mesma forma, mas apenas com os dígitos 0 e 1: 0, 1, 10, 11, 100, 101, 110, 111 … Cada dígito é um bit. Oito bits formam um byte.

Arecibo  A mensagem transmitida a partir de Arecibo tinha 1679 bits, quase 210 bytes. Por que 1679? Porque 1679 é um número semiprimo, ou seja, produto de apenas dois números primos, 23 e 73 neste caso. Assim, se alguém receber a mensagem, perceberá que os sinais forma uma matriz bidimensional de 73 linhas e 23 colunas. Se organizada como 23 linhas e 73 colunas, não produzirá um resultado inteligível.

Criada pelo famoso cientista Frank Drake com ajuda do ainda mais famoso Carl Sagan, a mensagem contém o seguinte:

  • Os números de um a dez;
  • Os números atômicos do hidrogênio, carbono, nitrogênio, oxigênio e fósforo, que formam o ácido desoxirribonucleico, o DNA, a base da vida na terra;
  • As fórmulas dos açucares e bases nos nucleotídeos do DNA: desoxirribose, fosfato, adenina, timina, citosina e guanina;
  • O número de nucleotídeos no DNA e um desenho de sua estrutura em dupla hélice;
  • Um desenho da forma humana, a altura de um homem mediano, 1,75 m, tendo o comprimento de onda, 12,6 cm, como unidade e a população humana, 4,29 bilhões na época;
  • Um desenho do Sistema Solar destacando a Terra;
  • Um desenho do radiotelescópio de Arecibo e o diâmetro de sua antena.

Diagrama da Mensagem de Arecibo (Arte: Eduardo Oliveira)

Segundo Sagan, "A mensagem decodificada forma um tipo de pictograma que diz algo como isso:

‘Aqui é como contamos de um a dez. Aqui estão cinco átomos que achamos que são interessantes ou importantes: hidrogênio, carbono, nitrogênio, oxigênio e fósforo. Aqui estão algumas formas que achamos interessantes ou importantes de unir estes átomos – as moléculas de timina, adenina, guanina e citosina e uma cadeia composta de açucares e fosfatos alternados.

Estes blocos de construção moleculares são unidos para formar uma longa molécula de DNA contendo cerca de quatro bilhões de ligações na cadeia. A molécula é uma dupla hélice. De alguma forma, a molécula é importante para a criatura desajeitada no centro da mensagem. Aquela criatura tem 14 comprimentos de onda de rádio ou 5 pés e 9,5 polegadas de altura.

Há cerca de quatro bilhões destas criaturas no terceiro planeta a partir de nossa estrela. Há nove planetas ao todo, quatro grandes na parte externa e um pequeno na extremidade. Esta mensagem é trazida até você como cortesia de um radiotelescópio com diâmetro de 2.430 comprimentos de onda ou 1.004 pés.

Sinceramente.’"

Curiosidade: muitos livros e sites trazem figuras da mensagem de Arecibo espelhada horizontalmente – algum receptor poderia interpretar assim.

O radiotelescópio de Arecibo, em Porto Rico

Tudo isso soa animador e poético, a humanidade estendendo a mão via rádio a um vizinho desconhecido… Mas não é bem assim. A mensagem viaja à velocidade da luz e M13 está a 25 mil anos-luz da Terra: ela vai levar 25 milênios para chegar lá. E uma resposta via rádio levaria outros 250 séculos para ser recebida. Na verdade, o aglomerado estelar nem estará mais na mesma posição – para onde a mensagem foi enviada – daqui a 25 mil anos.

A mensagem de Arecibo é mais uma demonstração da potência do novo equipamento, da capacidade tecnológica humana, que uma tentativa de contato com uma civilização extraterrestre. Então… Não, não é de se esperar uma resposta.

Chilbolton  Mas e se recebêssemos uma mesmo assim?

Em 14 de agosto de 2001, Darcy Ladd, diretor do Observatório Chilbolton, em, Hampshire, Reino Unido, disse que ele e outros funcionários notaram uma "sombra" no campo de trigo próximo ao radiotelescópio, mas nenhum piloto relatou ter visto nada incomum pela região. Seis dias depois, todos do observatório ficaram impressionados ao ver um enorme retângulo amassado cheio de quadrados de plantas de trigo em pé que pareciam formar um código binário.

Lucy Pringle, pesquisadora de círculos em plantações, recebeu uma ligação do observatório e contratou um avião para sobrevoar o campo. Da aeronave, ela pode ver bem o que era a "sombra". Falaremos dela mais adiante. Por enquanto, o importante é a formação retangular. Por quê? Veja.

Formação em plantação  em Chilbolton, Reino Unido, em 2001 (Foto: Lucy Pringle)  Diagrama da suposta mensagem de Chilbolton

É desnecessário dizer de onde veio a inspiração para a confecção da formação, qualquer que seja seu autor. Como disse, muitas literaturas acabam trazendo o diagrama da mensagem de Arecibo invertido. Considerando que a formação foi feita por pessoas querendo pregar uma peça, elas devem ter se inspirado numa dessas imagens espelhadas e não se importaram em entender o sentido correto de codificação – aparente na apresentação do sistema decimal, no início da mensagem.

Analisando a formação de cima para baixo, notamos que o sistema decimal permaneceu. Na seção de elementos do DNA foi adicionado o silício. Na representação da cadeia de DNA, há uma faixa adicional em um dos lados e o número de nucleotídeos mudou.

Visualmente, as mudanças mais chamativas estão na representação do indivíduo: a figura humana foi substituída por algo muito semelhante aos alienígenas cinzas, frequentemente relatados em casos de abdução. Sua cabeça grande tem um par de olhos bem aparente. Além disso, na indicação de sua altura, está a representação binária 1000, 8 no sistema decimal. Multiplicando 8 pelo comprimento de onda 12,6 cm, temos 1,008 m – ele é baixinho, como nos relatos.

A população é de 21,3 bilhões de indivíduos e eles parecem habitar três planetas. Se o sistema solar indicado for nosso, eles são a Terra ("Eles estão entre nós?"), Marte e Júpiter. Como Júpiter está indicado de forma diferente, com quatro pontos ao redor e não o planeta em si, poderiam estar se referindo a quatro de suas luas – talvez as quatro maiores, Calisto, Europa, Ganimedes e Io, chamadas de galileanas por terem sido descobertas por Galileu Galilei. O planeta também poderia ter uma indicação diferente para representar que é a origem deles, tendo os outros dois sido colonizados.

Interpretação da formação de Chilbolton conforme a mensagem de Arecibo, diferenças em vemelho (Arte: Eduardo Oliveira)

Particularmente, não vejo motivo para acreditar que seja o nosso sistema solar. Marte e Júpiter não têm condições para vida tão complexa e, se tivessem uma civilização tão avançada, teríamos descoberto há décadas. (Não vamos entrar em teorias de conspiração de que a NASA e alguns governos escondem que Marte e Vênus têm civilizações ativas, que algumas luas de Júpiter e Saturno são habitadas, etc., ok?) Além disso, as representações do Sol, de Netuno e de Saturno estão menores.

E também existe a questão de Plutão. Ele estava na mensagem de Arecibo porque era considerado um planeta até 2006. Em 1974, quando a mensagem foi enviada, ainda não havia tantos objetos transnetunianos descobertos. Foram essas descobertas que levantaram questões sobre a relevância de Plutão como planeta e levaram à criação da classe dos planetas-anões, onde foram incluídos vários objetos transnetunianos, inclusive Plutão. "Eles" certamente não dariam tanta importância ao astro.

Ao final da formação, temos o que talvez seja seu aspecto menos claro: um dispositivo de comunicação deles e a informação de que seu diâmetro é de 850 metros. Em agosto de 2000, um ano antes do aparecimento da formação, uma figura semelhante ao "telescópio alienígena" apareceu no mesmo campo. Decifrar a figura fica como exercício para o leitor.

Círculos em plantação de trigo próximo ao Chilbolton Observatory em 2000

Seria possível que alguma nave alienígena a pelo menos poucos anos-luz da Terra tivesse captado a Mensagem de Arecibo e deixado uma resposta visual numa instalação de captação de rádio nossa? Por que não responderam em rádio mesmo? E se iriam fazer um sinal visual, por que não em algum lugar que chamasse mais atenção?

A 200 metros da figura em código binário, havia outra formação. Foi a ela que o pessoal do observatório se referiu como "sombra". Era uma face humanoide "pixelizada". Seria o autor da mensagem?

Formações misteriosas em plantação de trigo no Reino Unido em 2001

O famoso pesquisador Richard Hoagland publicou um extenso estudo sobre as formações na internet. Para vê-lo, clique aqui. Aqui, vale mencionar que ele encontrou semelhanças entre a face de Chilbolton e a suposta face de Cydonia, em Marte. A face foi fotografada pela sonda Viking em 1976 com pouca definição e nas décadas seguintes com câmeras cada vez melhores de diferentes sondas. Trata-se apenas de um morro. A aparência de uma face vem da baixa definição da câmera da Viking, seu ângulo de visada da região e a iluminação do local no momento da foto. (Amantes de conspirações, contenham-se!) Mesmo assim, particularmente, não vejo muitas semelhanças.

Richard Hoagland aponta para semelhanças entre a face de Chilbolton e a de Cydonia

Pela internet, é possível encontrar várias interpretações da face e tentativas de construir uma imagem realista do rosto.

Disco Apenas como curiosidade, veja esta formação de 70 metros que apareceu em 16 de junho de 1999 no campo atrás do observatório. 138 círculos, cada um com 3 metros de diâmetro, formavam um diamante seccionado em triângulos.

Formação próxima ao Chilbolton Observatory em 1999 (Foto: Steve Alexander)

Formação próxima ao Chilbolton Observatory em 1999 (Foto: Steve Alexander)

Em agosto de 2002, outra formação foi descoberta a 13,5 km do radiotelescópio, em uma fazenda próxima a Winchester. E também continha uma mensagem. Foi chamada de Formação Crabwood por causa do nome de uma floresta próxima.

Apesar de a formação ser bem limpa e ter aparecido completa em uma única noite em total discrição, seu incrível detalhamento teria requerido muita coordenação e esforço de um grupo grande de pessoas em uma tarefa de cerca de cinco horas sem usar luzes e fazer barulhos que os denunciassem, além de não deixar marcas na chegada e na saída. O uso de veículos para uma tarefa dessas está totalmente fora de questão. Devo mencionar que foi utilizada uma técnica que evitou que as plantas amassadas morressem.

A imagem mostra um alienígena cinza clássico e um disco com o mesmo padrão binário de plantas amassadas e deixadas de pé em espiral. O disco continha 1368 dígitos.

Formação de Crabwood fotografada em 16 de agosto de 2002 (Foto: Steve Alexander)

Para decifrar a mensagem, a espiral foi lida como um CD, de dentro para fora. A sequência binária foi interpretada usando o código de 8 bits ASCII (American Standard Code for Information Interchange, Código Padrão Americano para Intercâmbio de Informações), um padrão mundial de informática para caracteres.

Binário em CDs e DVDs

O início da Mensagem de Crabwood

Beware the bearers of FALSE gifts and their BROKEN PROMISES
Much PAIN but still time
Believe
There is GOOD out there
We OPpose DECEPTION
COnduit CLOSING
0x07

A palavra "Believe" (acredite) estava danificada e pode ter sido decodificada erroneamente. Podemos interpretar desta forma: "Cuidado com os portadores de falsos presentes e suas promessas corrompidas. Muita dor mas ainda [há] tempo. Acredite. Existe bem lá fora. Nos opomos à ilusão. Conduíte fechando." 0x07 é o código de um toque que foi muito usado em máquinas de escrever no início dos anos 60: "Ding!"

Entenda o que quiser…

Uma informação sem a menor importância mas que eu tive que compartilhar: Dias antes de publicar este post coloquei a mensagem no Twitter e perguntei se alguém sabia de onde ela vinha. Uma jovem disse que havia lido isso na Bíblia.

De volta ao assunto… Investigadores e curiosos do mundo todo viajaram até o local para visitar a formação. Os pesquisadores locais cuidando do caso foram entrevistados por vários veículos de imprensa de todo o globo.

Não é preciso dizer que a autenticidade da formação divide opiniões até hoje. Seria possível mesmo que um grupo de pessoas conseguisse fraudar algo desta magnitude? Mas como alienígenas teriam acesso ao código ASCII? (Talvez da mesma forma que os Autobots "aprenderam todas as línguas da Terra".) E não se trata apenas do disco, devemos nos lembrar da figura bisonha. É possível encontrar teorias de vários pesquisadores pela internet sobre o alienígena, de onde veio e qual o propósito da mensagem. Vou abordar rapidamente os principais.

Ilusão  Para Paul Vigay, famoso pesquisador local, a mensagem apenas soa amigável. Para ele, a imagem do alien cinza representa o remetente da mensagem. Conhecidos mais pelo inglês greys, eles são sempre associados a abduções violentas envolvendo coleta de material genético e até a mutilações de animais e a contatos que deixaram pessoas sequeladas. Pretendo abordar os greys em um post futuro.

Vigay também destaca três estrelas sobre o ombro da figura que possuem o mesmo alinhamento do Cinturão de Órion, conhecido como as Três Marias, uma formação estelar que chama muito a atenção desde a Antiguidade. Tanto que as Pirâmides do Egito foram construídas copiando-as. Note que a terceira estrela não se alinha perfeitamente com as outras duas, assim como na plantação.

Representação do Cinturão de Órion na Mensagem de Crabwood?

Em um artigo, ele associou Crabwood a uma pintura rupestre encontrada no Uzbequistão. No desenho, um ser humanoide com capacete segura um disco muito semelhante ao de Crabwood. Ao fundo vemos um um disco voador típico decolando, três orbes e outro ser. Para alguns, existe uma representação de piso xadrez, para outros, um cenário apocalíptico com destroços no chão. Infelizmente para ele, a tal pintura é falsa.

Vigay defende a ideia de que existem várias raças extraterrestres visitando a Terra, algumas com boas intenções e outras não. Para ele – para todos, na verdade –, os greys não são os mocinhos. Segundo o pesquisador, o governo estadunidense até teria feito um acordo com eles. Essa ideia é muito famosa e pretendo abordá-la no post sobre os greys. Vigay também defende a relação de raças reptilianas de Zeta Reticuli, mas isso já é outra estória.

Simulação feita a partir da fFormação de Crabwood

Dizem até que o ex-presidente estadunidense Dwight Eisenhower recusou um acordo com uma raça benevolente para cumprimentar os greys, que não seguiram o combinado e continuaram fazendo suas peripécias (abduções, mutilações de gado, etc.). A raça benevolente teria criado a formação em Chilbolton e depois a de Crabwood, primeiro uma espécie de saudação, depois um aviso.

Outro ponto de vista é de que o alien da formação não é o remetente da mensagem, mas um anexo, uma foto do "portador de presentes falsos". Alguns defensores desta teoria usam a face de Chilbolton como argumento. Alienígenas descritos com aparência humana costumam ser benevolentes nos relatos, tanto que teriam respondido de uma forma amigável na Mensagem de Chilbolton.

Yeah-yeah! Pegadinha!Explorar estas teorias além ficaria mito fora do scope, então vou parar por aqui. Basta mencionar que outra ideia difundida por alguns pesquisadores é a de que o disco continha um calendário. É uma teoria mais complexa e vou apenas mencionar que ela envolve a divindade pré-colombiana Quetzalcoatl e M13, parece apontar para o ano de 2047 e pode ser vista clicando aqui.

Seria tudo isso uma fraude elaborada? E se não for, por que eles não enviaram uma mensagem mais direta ou se apresentaram pessoalmente para transmitir algo tão importante? Cabe a você pesquisar mais além e tirar sua própria conclusão.

Wow!  Para encerrar, vamos ver rapidamente um estranho sinal de rádio recebido por um radiotelescópio. Talvez esta seja uma forma mais efetiva de fazer contato, não?

Em 15 de agosto de 1977, o Observatório de Rádio da Universidade Estadual de Ohio, o Big Ear, estava fazendo uma varredura como parte do projeto SETI (Search for Extra Terrestrial Intelligence, Busca por Inteligência Extraterrestre) e o Dr. Jerry Ehman, voluntário, viu a assinatura do sinal numa impressão de dados, a circulou e escreveu "Wow!" ao lado. Assim ficou conhecido o sinal.

Página do Sinal Wow!

O Sinal Wow! durou 72 segundos a 1420,456 MHz e veio da constelação de Sagitário. A estrela mais próxima naquela região está a cerca de 220 anos-luz. Não havia nenhum satélite naquela região do céu no momento. Desde então, o SETI varreu a região várias vezes, mas nada anômalo foi encontrado. Na verdade, a região é bem quieta. Pelo menos, as varreduras posteriores foram suficientes para eliminar qualquer causa natural conhecida. Não significa que seja artificial, apenas que não sabemos o que gerou o sinal.

O Big Ear começou a funcionar em 1963 e operou por 35 anos. O observatório foi decomissionado, desmontado e destruído em 1998 para a expansão de um campo de golfe próximo. A pesquisa radioastronômica, a busca por conhecimento sobre o Universo e a procura por sinais rádio de outras civilizações foi substituída por camisas polo, calças bem alinhadas e luvas em uma mão só. Valeu a pena? Mais uma vez a conclusão é sua.

 

E se o mundo não corresponde em todos os aspectos a nossos desejos, é culpa da ciência ou dos que querem impor seus desejos ao mundo?
– Carl Sagan (1934-1996), astrônomo estadunidense

 

Eduardo Oliveira
editor

Anúncios