Um telescópio universitário automatizado instalado nas montanhas russas do Cáucaso, próximo à cidade de Kislovdsk, descobriu um asteroide batiado de 2014 UR116.Segundo cientistas, este asteroide tem potencial para colidir com a Terra.

Uma vez que os astrônomos russos viram o corpo celeste, enviaram os dados para o Centro de Planetas Menores do Observatório Astrofísico Smithsonian para que muitos observatórios pelo mundo pudessem pesquisar o astro  e ajudar a calcular sua órbita preliminar.

A órbita do asteroide está mudando porque ele também passa perto de Vênus e Marte, sofrendo a influência gravitacional destes planetas.

Ainda está na memória dos russos a explosão de um meteoro sobre a região de Chelyabinsk em fevereiro de 2013. A energia foi equivaleu de 300 a 500 quilotons de TNT, mas o meteoro tinha apenas 17 m e se desintegrou-se a 20 km de altitude.

O 2014 UR116 é muito maior – estima-se que tenha 370 m de diâmetro – e sua colisão com a Terra seria catastrófica: mil vezes mais poderosa que a de Chelyabinsk.

Mas o asteroide não representa ameaça para a Terra pelos próximos seis anos. No momento, o ponto mais próximo da órbita do 2014 UR116 fica a 4,5 milhões de quilômetros da Terra. Mas a órbita pode mudar e os cientistas continuarão de olho nele pelos próximos anos.

MASTER  O telescópio robótico que descobriu o 2014 UR116 chama-se MASTER e pertence À Universidade Estadual de Moscou. O MASTER foi criado em cooperação próxima de universidades russas em Iecaterinburgo, Ircutsk, Blagoveschensk, a estação de Kislivodsk do Observatório Pulkovo e ajuda da Universidade Nacional em San Juan, Argentina.

O telescópio já descobriu outros dois asteroides potencialmente perigosos: 2013 SW24, de 250 m, e 2013 UG1, de 125 m.

Anúncios