Cargueiro russo teve problemas em separação de foguete. Nave com 2,5 ton de suprimentos deve retornar a atmosfera.

Uma nave russa de carga está caindo do espaço por conta de uma falha grave sofrida nesta terça-feira (28/04/2015).

A Progress M-27M, não tripulada, deve entrar na atmosfera entre 5 e 7 de maio e levava 2,5 toneladas de suprimentos para a Estação Espacial Internacional. Uma câmera a bordo da nave mostra que ela gira sem controle.

“Nós dois fomos informados recentemente pelos centros de controles russo e dos EUA que a Roscosmos anunciou que a Progress não estará se acoplando e reentrará na atmosfera da Terra em alguns dias”, disse o astronauta estadunidense Scott Kelly, na Estação, na companhia do cosmonauta russo Micail Cornienco.

A Progress 59 foi lançada na terça-feira no topo de um foguete Soyuz a partir do Cosmódromo de Baiconur, no Cazaquistão. O lançamento correu bem, mas pouco depois da separação do foguete, os controladores russos tiveram problemas na recepção de dados de telemetria da nave.

O player não funciona?

Na tarde daquele dia, a NASA informou que os controladores russos não conseguiam enviar comando para a Progress – que girava sem controle. Repetidas tentativas de retomar o controle da nave automatizada não deram certo.

Detritos  Ontem (29), o Comando Espacial da USAF relatou que seu centro de rastreamento de lixo espacial detectou 44 detritos próximos à nave. Porém, autoridades do Comando da Junta de Componentes Funcionais (JFCC) da USAF no Centro de Operações Espaciais Conjuntas (JSOC), que monitora a nave, não tinham certeza de que os detritos eram da Progress ou do último estágio do foguete.

“A segurança do voo espacial humano é nossa maior preocupação,” declarou o Ten.Gal. Jay Raymond, comandante de Espaço do JFCC e da 14ª Força Aérea (Estratégica). “Continuaremos a monitorar a situação e trabalhar com nosso governo e parceiros industriais e internacionais para garantir a segurança dos astronautas a bordo da ISS e fornecer segurança, sustentabilidade, garantia e estabilidade de longo termo do domínio espacial.”

Dan Hout, porta-voz da NASA no Centro Espacial Johnson, em Houston, disse ao site Space.com que os detritos ao redor da Progress não apresentam ameaça para a ISS e sua tripulação de seis pessoas. Hout também declarou que a tripulação também não corre perigo de ficar sem suprimentos essenciais, tendo ainda 4 meses de suprimentos a bordo.

O player não funciona?

Em comunicado pelo seu site ontem, a Roscosmos declarou que perdeu os dados de telemetria 1,5 segundos antes da separação do foguete.”Quando os dados foram recuperados, o tempo para a separação já havia passado”, explicou a agência espacial russa. “Estamos atualmente monitorando os sistemas e os especialistas da Roscosmos deverão nos informar prontamente a evolução do caso.”

O comunicado também menciona que a Progress M-27M não oferece risco de colisão com a ISS e poderá entrar em contato com a atmosfera da Terra entre 5 e 7 de maio. Um relatório sobre as causas da falha será elaborado até 13 de maio.

Progress  Com 2,5 toneladas de suprimentos, a nave deveria chegar à plataforma internacional ISS seis horas depois de sua decolagem. Ela carrega combustível, oxigênio, alimentos, equipamentos científicos para os astronautas. O custo desta perda é estimado em US$ 90 milhões. O próximo cargueiro em direção à ISS sairá da Terra no 3º trimestre deste ano.

Versões da nave russa de 7,3 metros tem siso usadas desde 1978. Desde 2000, elas levam cargas para a ISS, tendo ocorrido um acidente em 2011 relacionado a mal funcionamento do foguete. As Progress são naves descartáveis, queimam na atmosfera após completarem suas missões.

Anúncios