Causa foi sequência de comando falha em preparação para encontro com planeta-anão no dia 14. Operações científicas devem voltar ao normal na terça-feira.

A sonda New Horizons, a caminho de Plutão, sofreu uma anomalia na tarde deste sábado (4/7/2015) que levou à perda de comunicação com a Terra por mais de uma hora. Segundo a NASA, a espaconave está bem.

O centro de operações da missão no Applied Physics Laboratory da Johns Hopkins University, em Laurel, Maryland, perdeu contato com a nave as 14h54 de Brasília e o restabeleceu as 16h15, através da Deep Space Network, rede de comunicação da NASA para suas suas naves interplanetárias.

Concepção artística da New Horizons passando por Plutão

Durante este tempo, o piloto automático da New Horizons reconheceu o problema é – como é programado para fazer em tal situação – mudou do computador principal para o backup, colocando a nave em “modo de segurança” e comandando o computador backup para reiniciar a comunicação com a Terra. Assim, a New Horizons começou a transmitir telemetria para ajudar engenheiros a diagnosticar o problema.

Uma junta de revisão de anomalia (Anomaly Review Board, ARB) foi convocada às 17h para reunir informação sobre o problema é iniciar um plano de recuperação. A equipe agora trabalha para colocar a sonda de volta em seu plano de voo original. Por conta da diferença de comunicação bilateral de 9 horas, consequência de se trabalhar com uma nave a quase 5 bilhões de quilômetros, a recuperação total deve demorar. E a New Horizons não poderá coletar dados científicos durante este período.

A investigação da anomalia concluiu que não houve falha de hardware nem software na nave. A causa foi uma falha de sincronia difícil de detectar na sequência de comandos da espaçonave que ocorreu durante a preparação para a passagem por Plutão, no dia 14.

“Estou feliz por nossa equipe de missão rapidamente identificou o problema e assegurou a saúde da espaçonave”, disse Jim Green, diretor de ciência planetária da NASA. “Agora – com Plutão em nossas vistas – estamos prestes a retornar às operações normais e tentar o ouro.”

Estão sendo feitas preparações para reinicia as operações científicas planejadas em 7 de julho e conduzir toda a sequência de sobrevoo próximo como planejado. A equipe científica da missão é o investigador principal concluíram que as observações científicas perdidas durante a recuperação da anomalia não afetam os objetivos primários e tem efeitos mínimos em objetivos menores. “Em termos de ciência, isso não vai mudar um A+ nem em um A”, disse Alan Stern, investigador principal da New Horizons no Southwest Research Institute, em Boulder, Colorado.

Saiba mais sobre Plutão e a New Horizons: “Para redescobrir Plutão”

Anúncios