Brasil e China comemoram 30 anos de CBERS

Sexto satélite do programa deve ser lançado ano que vem. Solenidade com autoridades aconteceu em São José dos Campos.

Realizada na manhã de hoje, uma solenidade no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos, SP, organizada pela Agência Espacial Brasileira (AEB), comemorou os 30 anos de parceria com a China no Programa de Satélites Sino-Brasileiros de Recursos Terrestres (na sigla em inglês, CBERS).

Foram anunciadas as presenças do embaixador Li Jinzhang, do presidente da AEB José Raimundo Braga Coelho, do diretor do INPE, Ricardo Galvão, e outros dirigentes e engenheiros do Brasil e da China, representantes da indústria nacional e dos ministérios das Relações Exteriores (MRE) e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

O CBERS lançará seu sexto satélite – o CBERS-4A – em 2019 e avanços estão sendo discutidos pelos especialistas da AEB, da Administração Nacional Espacial da China (CNSA), do INPE e da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST). Uma das expectativas é o desenvolvimento de um “satélite radar”.

Hoje, está em operação o CBERS-4, lançado em dezembro de 2014. O satélite é exemplo da evolução da tecnologia brasileira proporcionada pelo programa espacial. As imagens da câmera MUX, totalmente projetada e construída no Brasil, estão sendo distribuídas a usuários com processamento considerado de classe mundial. O método desenvolvido pelo INPE permite, por exemplo, monitorar culturas agrícolas anuais, um tipo de aplicação que não é possível com satélites de alta resolução, que possuem faixas de imageamento mais estreitas.

O CBERS-4 possui quatro câmeras ópticas, duas brasileiras (MUX e WFI) e duas chinesas (PAN e IRS), que apresentam resolução espacial destinada a monitorar desmatamentos, queimadas, nível de reservatórios, desastres naturais, expansão agrícola, entre outras aplicações. Segundo o INPE, o CBERS-4A “garantirá a continuidade no fornecimento das imagens utilizadas por mais de 20 mil instituições no Brasil”.

“O acordo de cooperação assinado com a China em 1988 é um importante indutor da inovação no parque industrial brasileiro, que se moderniza para atender aos desafios do programa espacial. A política industrial adotada pelo INPE permite a qualificação de fornecedores e contratação de serviços, partes, equipamentos e subsistemas junto a empresas nacionais”, declarou o INPE em seu site.

Além do conhecimento tecnológico, o CBERS traz benefícios sociais e econômicos – o sensoriamento remoto por satélites é uma ferramenta de baixo custo para o monitoramento de países de dimensões continentais como o Brasil e a China.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s